quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

31/12/2007 - New Year’s Party

Dia duro no trabalho. Muitos quartos pra limpar. Não conseguir sair antes das seis… cheguei em casa, tomei um banho e me arrumei para o ano novo. Não sabia ao certo o que fazer. O Scott me convidou para ir na festa de ano novo na casa dele, mas ninguém aqui quis ir comigo e eu estava decidida a não ir sozinha, uma vez que não conheceria ninguém além dele. Então resolvi ir com a JJ, o Elder e a Britney num pub chamado Green Light. Mas pra mim foi Red Light, fui barrada no baile. Eles não aceitaram minha identidade brasileira, só passaporte, e meu passaporte estava em casa. Nesta confusão, todos já tinham entrado no bar e o idiota do porteiro não quis nem me deixar avisar a galera que eu não poderia ficar. Então fui caminhando até o ponto de ônibus, quase chorando de ódio porque, pra piorar, saí de casa com pressa e esqueci minha chave.

Chegando no ponto de ônibus, já menos fula da vida - pois uma caminhada na neve realmente esfria a sua cabeça - pedi fogo pra um guri que tava fumando um cigarro. Quando ele perguntou como eu estava eu disse que tava com frio e fula da vida, lhe explicando a minha desesperada situação. Nem entrar em casa eu poderia… pra tomar minhas cervejinhas de ano novo sozinha. Então ele me ofereceu uma dose de uísque, pra amenizar o problema. Dali a pouco veio o irmão dele e mais um amiguinho, e ficamos bebendo até o ônibus chegar. Entramos no ônibus, e eu lembrei do convite do Scott. A casa dele era ali perto, na próxima parada. Desci, me despedi e agradeci o Andy pelo uísque e pela companhia, e fui caminhando até o apartamento do Scott.


Andy and me in the bus: just met and got drunk!

A casa do Scott é simplesmente maravilhosa… um baita apartamento duplex, completamente equipado com o que há de melhor - TV plasma, cozinha moderna, ampla sala e sacada, lareira a gás, um luxo. A festa foi boa, muita bebida, champanhe, cerveja, vodka, vinho, tinha de tudo para todos os gostos. Pra variar, me arreguei. Certamente não teria sido tão legal no bar, sem falar que iria torrar uma grana. E lá no Scott, conforto, bebida, comida, tudo de graça! Mais que perfeito!

Ben, seu tio e seu primo.


O anfitrião abastecendo as taças.


Grande maioria dos demais convidados era pirralhada - que surpresa! Eles aprenderam a fazer caipirinha, porque era muita gente e eu não estava vencendo a demanda.




O nome dela é Carlie, o nome dos outros não lembro!


A galera se empenhando na arte da caipirinha...




Eu e A.P., americana sobrinha de brasileiro!

Para mim, muita sorte neste novo ano que entra… tenho certeza. Pois quando tudo parecia dar errado - ser barrada no bar e não ter a chave de casa - me deparo com uma baita festa, num baita apartamento, conhecendo novas pessoas, todos americanos - o que é ótimo para mim e para meu inglês.



Depois da virada, antes de voltar pra casa liguei pra JJ pra ver se eles já estavam aqui e tudo deu certo. Nem precisei esperar o ônibus da madrugada, quando eu saí do prédio tinha um ônibus esperando na porta. Sorte minha, pois fazia 36 graus negativos, inacreditável!

Então foi assim, meu ano novo maluco. Feliz 2008!

Nenhum comentário: