quarta-feira, 28 de abril de 2010

HISTÓRIA UNIVERSAL DA VIRTUDE

De Ivan Justen Santana



No princípio era preguiça:

arregala-se de gula,

variando pra avareza,

sobe bárbara à soberba

mas mal raia as raias da raiva

vê que a inveja vinha da ira

chamejando de luxúria.


Já roxa, cheia de úmida humildade,

chega ao meio do caminho:

topa a tempo a temperança,

pensa e passa à sapiência,

confortável fortaleza,

onde ajusta-se,

justiça.


Por fim, descansa.

Esperança, cara a cara

com a cara caridade,

com amor sente-se fé:

virtude como nunca,

como nunca está

simplesmente é.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Tá punk!!!

Tudo o que eu quero agora é estar em algum ponto ao sul da parte verde do mapa.

Caros leitores, prometo que se eu sobreviver ao fim de semestre na Universidade, ficarei feliz em escrever aqui com mais frequência.

Este finalzinho de reta está sendo especialmente estressante. Fora a agonia comum de fim de semestre, tem a agonia de saber que a minha sobrinha-neta nasceu e que eu não a conheço pessoalmente. E que os pais e os avós, bobos que estão com a princesinha, não se incomodam em me mandar notícias nem fotos. O que só piora minha ansiedade.

Fora isso, tem o lance da casa. Sexta-feira que vem vamos assinar o contrato e pegar as chaves do nosso lar! E logo em seguida, na sexta-feira mesmo, começamos a mudança. Fora isso, ainda tenho que preparar o exame final pros meus alunos, e o guia de estudos para que eles possam focar no que vai ser cobrado na prova.

Como se não bastasse tudo isso, ainda tenho que retocar - reescrever, acrescentar, tirar, finalizar etc. - dois research papers, um sobre Euclides da Cunha e Sarmiento (estudo comparativo que estou fazendo das obras mais importantes destes autores, Os Sertões e Facundo) e outro sobre as relações internacionais entre Brasil e Estados Unidos, em que argumento que o Brasil vem adotando políticas mais agressivas em relação ao país norte-americano, especialmente nos últimos oito anos, nos quais o Presidente Lula está no poder.

E o que esses trabalhos têm a ver com minha tese? Nada... minha tese ainda não se propôs (sim, eu juro que eu espero que ela se proponha!). É que pra cada matéria que faço, preciso entregar uma mini-tese de 20 páginas, que são esses research papers. A partir do próximo semestre vou ter que dar forma à minha proposta... daí sim o bicho vai pegar.

Glup! Arf! Arf! Arf! Fora isso, mal vejo a hora de eu chegar aí em Terra Brasilis e relaxar... que beleza que será!!!!

Arrivederci!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Bem-Vinda ao mundo, Alice!


Minha querida sobrinha neta... seja bem vinda a este lindo planeta! Agora, com você aqui, ele vai mudar completamente! E mesmo assim, esse imenso paradoxo da vida não varia... o mundo vai continuar dando voltas e virando de ponta-cabeça... sempre deixando a gente uma hora pra cima, outra hora pra baixo... o mundo vive sempre mudando de direção. E assim é a vida!

Você é a vida. Na imensidão de sua pequenice, milhões de células se multiplicam incansavelmente, e terão completado, ao final de um ano, os maiores avanços biológicos jamais imagináveis da sua vida (até você atingir a idade - e quiçá a maturidade - para gerar uma outra vida).

Você vai aprender muito rápido muitas coisas em muito pouco tempo. E o tempo, Alice, é assim, uma engrenagem que rege tudo e que nunca pára, que jamais espera. E é por isso muito importante que você, à medida que cresça, vá sempre cultivando sua capacidade magnífica de aprender. De criar ideias. De imaginar coisas impossíveis (ao menos sete por dia) e torná-las realidade. A vida, Alice, como o tempo, passa. Mas não as boas ideias... essas nunca morrem.

Sua família é de um talento inquestionável. Você tem sorte de nascer Ali(ce)! E aqui se existe alegria, é porque a partir deste dia, você será sempre Alice... nossa linda, alegre, amada Alice! Sempre bem-vinda, tão linda, amada, Alice!

Da tia-avó coruja,
Panda

terça-feira, 13 de abril de 2010

Alice no país das maravilhas!



Young mother, young dady, and Alice in real wonderland!
Foto de Pilar!


A cegonha fez um delivery hoje, às 7:10 da noite, em Curitiba!

Alice, minha sobrinha-neta, veio ao mundo perfeita, e faminta!

Papai Yuri tá que não se acredita!

Os sorrisos do vô e da vó são a coisa mais bonita!

Mamãe Amandha na maternidade, dando muito de mamar!

E o Bruno e a Panda na saudade, a esperar, a esperar...

E a bisa Dondaliet? Onde será que ela está?

5 semanas e tamo aí!

Nos aguardem!

domingo, 11 de abril de 2010

Humorzinho besta pra descontrair...

O pai de Malu Mader é Malu Fader.
Você não tem, mas o Frankstein
Eu não vou furar. O Juca Kfouri
Aquilo todo mundo vê... Até o Clodovil
Todo mundo só morre uma vez, mas a Alanis Morissete
Eu pulo do barranco. O Luciano do Valle
Você já morou nos EUA? A Marylin Monroe
Você faria papel de trouxa? A Betty Faria
Eu acordo mais tarde. E o Edir Macedo
Ninguém queria pagar a conta. A Cassia Kiss
Eu pinto paredes. E o Jânio, Quadros.
O marido da Hilda Furacão é o Tony Tornado?
O Pateta usa o teclado. E o Mickey Mouse
Você já esteve na Europa? A Adriana Esteves
Eu fumo. E o Celso, Pitta

Fonte: tirei do orcú. hehehehe...

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Hoje o dia amanheceu mais triste...


A notícia da morte do Ivo me deixou muito triste. Por mais que todos estejamos carecas de saber que a vida é efêmera, e que enfim todo mundo que é vivo um dia morre, nunca estamos preparados para aceitar o fato sem nenhuma dor, sem nenhuma saudade, sem derramar nenhuma lágrima. Hoje eu chorei a morte do Ivo, não só do Ivo da Blindagem. Mas principalmente do Ivo pai da Angela e do Ivan... do Ivo marido da Suka.

Chorei porque eu sei que a nossa dor nem se compara à dor que esta família está enfrentando agora... chorei porque eu sei como é horrível perder um pai. Aquele buraco no estômago, uma sensação de queda livre interminável. Falta o chão. E a gravidade do mundo pesa ainda mais, te empurrando pra baixo, prum vácuo de lembranças boas e de arrependimentos por tudo aquilo que fomos e deixamos de ser enquanto tínhamos aquela pessoa pra segurar a nossa mão. Uma náusea, um desespero. Um vazio imenso.

Demora pra cair a ficha. A gente se pergunta se é isso mesmo que está acontecendo, a gente quer acreditar que é um engano, que tudo não passa de um sonho ruim. Perder um pai é perder uma metade de nós. Até que, aos poucos, a gente vai se reconstruindo... e com o tempo, ficamos mais fortes do que éramos antes. Mas nunca nos curamos totalmente desta perda. Assim, quando morre o pai de alguém, sinto meu pai morrer de novo... regresso praquela noite, madrugada, manhã e tarde intermináveis dos quais tenho ao mesmo tempo poucas e muitas lembranças, em flashes, confusas na minha cabeça.

Deixo aqui meus sentimentos com a certeza de que o Ivo do Blindagem continuará sendo esta lenda viva que sempre foi. E espero que esta fatalidade inspire todos os roqueiros a cuidarem melhor da sua saúde... mas não hoje. Hoje acho que todo mundo deve tomar um trago pra brindar a vida do Ivo. Porque a partir de hoje ele, que sempre foi uma estrela, vai brilhar pra sempre e mais do que nunca no céu da nossa cidade.

"Não acredito no luto. Sobe em paz forte voz! Ele ainda vive".

Yan Sol, sobre a passagem do Dinossauro do Rock Paranaense, Ivo BLINDAGEM Rodrigues!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Páscoa de 1984



Vejam só como o tempo passa rápido... há alguns anos atrás, Bruno e Caetano caçavam ovos de Páscoa pela primeira vez no quintal de sua nova casa, no bairro calmo e quase despopulado do Barigüi, também conhecido como Santo Inácio.

Coelhinha Fátima e coelhinho Ivo deixaram um rastro de moedinhas de chocolate para indicar o caminho...

Coelhinho bonzinho esse hein... lá em casa não tinha pista não, a gente tinha que ir no faro mesmo.

Meu pai e minha mãe só ficavam de olho dizendo se tava frio ou quente.

Como era bom ser criança! E como o tempo passa rápido...

Ai, ai... acordar com uma foto dessas me fez amanhecer nostálgica!

domingo, 4 de abril de 2010

Feliz Páscoa!


Olá! Como foram de feriadão? Por aqui tudo oátimo!!! Nossa Sexta Feira Santa foi de fato uma Good Friday! De noite fomos tomar um vinho em volta da fogueira na casa dos nossos vizinhos Melanie e Drew, pais da linda baby Riley, que na semana passada completou seu pimeiro aninho de idade!

É que depois que fomos no aniversário da nenê, eu e a Melanie passamos a caminhar juntas diariamente. Combinamos de fazer isso na festa e desde então não falhamos nem um dia. Na sexta ela perguntou se a gente não queria "hang out" e topamos!

No Sábado de Aleluia retribuímos os dois convites (da festa da Riley e do luau regado à vinho da noite anterior) com um delicioso almoço feito pelo meu amado marido e Chef Bruno. Camarões, filé de linguado, bolinho de caranguejo, arroz e salada. Para sobremesa fiz um brasileiríssimo mousse de maracujá. Foi só sucesso. Até a baby se esbaldou. De tarde ficamos brincando no quintal, a Riley adorou a casinha com balanço e escorregador!


E hoje, Domingo de Páscoa, amanheceu outro dia lindo ensolarado! Pena que vou ter que ficar trancada em casa fazendo um trabalho pra entregar amanhã na faculdade... além do mais, nosso Coelhinho este ano não veio. Mas também não estamos precisando né? Como minha prima Gracinha me escreveu hoje no Orkú:

Cristo ressuscitou para nos ensinar a matar os nossos próprios defeitos e ressuscitar as nossas maiores virtudes, que estão sepultadas no íntimo dos nossos corações. Que este seja o verdadeiro sentido da Páscoa. Ressurreição do amor, do sorriso, da alegria de viver! Ressurreição da amizade, da vontade de ser feliz, das lembranças, dos sonhos... e de uma verdade que está muito acima de qualquer ovo de chocolate ou coelhinho da Páscoa.

Boa semana a todos e muitas saudades de vcs... bjos!