domingo, 23 de dezembro de 2007

22/12/2007 - Beer Pong

Quote the raven - Nevermore!

Nossa, mas que povo doido! Vocês não têm noção. Embora haja uma regra clara que grande parte do mundo é retardada, o grau de retardadisse dos americanos me assusta. Chamam isso de diferenças culturais. Pois bem. Já estou começando sacar essas diferenças, e tentando respeitá-las, claro, apesar de algumas me incomodarem realmente.


Por exemplo: estava eu na casa do Dusting e chegaram dois outros carinhas. Eles sentaram, se apresentaram, tudo normal. De repente um deles soltou um sonoro peido. E o outro outro, logo em seguida. E os dois começaram a competir, ó senhor, na frente de uma lady como eu. Não tive escolha senão levantar e disfarçadamente sair pra cozinha. E eu, que adoro rimar, falei pro Dusting: Dusting, this is disgusting!


As garotas não ficam atrás não, soltam arrotos mais que os garotos. Daqueles altos, assustadores. Toda hora, em qualquer lugar. Lembro da primeira vez que peguei o free bus. Uma garota sentou do meu lado e deu um arrotão. Tomei um susto lazarento e comecei a dar risada. A garota me olhou como se a esquisita fosse eu. E de fato…


Mas vamos ao meu dia. Acordei cedo, tomei café, fiz as unhas, tomei banho, almocei, saí com o Elder para comprar o presente de natal da JJ (eles fizeram as pazes naquela noite mesmo), voltamos pra casa, ele foi trabalhar e eu fui na lavenderia, fiquei lá esperando uma hora e meia até lavar e secar tudo enquanto lia Os irmãos Karamasovi, depois voltei pra casa, encontrei a JJ e a Britney, elas saíram jantar, me convidaram mas eu não tava afim, depois voltaram, eu fui com a JJ buscar o Elder no trabalho, fomos na casa de umas amigas deles, estava rolando uma festinha cheia daqueles americanos entojados que a gente vê em filmes, as garotas todas putinhas loucas para dar mas dando uma de santa, os garotos com aqueles queixos protuberantes se achando o máximo, aquela música americana insuportável, rap, sei lá, putz, que dureza foi esperar a JJ e o Elder ficarem afim de vir embora.


Um frio, um frio que vocês não têm noção, minha gente, não dava nem pra sair pra for a da casa pra fumar um cigarro e ficar longe daquela festinha americana de merda. O jeito foi esperar. Me esparramei na frente da lareira e fingi que tava dormindo.


Até que o Ched, um gordinho bobão mas até que simpático, veio me convidar pra ser dupla dele no beer pong. Um jogo estúpido, porém divertido, em que cada dupla fica do lado de uma mesa de ping pong, diante de seis copos de cerveja dispostos em forma de pinos de boliche, dentro dos quais a dupla adversária deve acertar a bolinha, fazendo a outra dupla beber. Se você acertar a bolinha direto no copo, o adversário só toma aquele copo. Se os dois da mesma dupla acertarem o mesmo copo, a dupla adversária toma três copos. Se você quicar a bola na mesa uma vez antes de acertar, a dupla adversária é obrigada a tomar dois copos. E o objetivo do jogo é deixar a outra dupla bêbada, eliminando todos os copos.


Mas quando eu estava começando a me divertir e pegar o jeito da coisa, a JJ e o Elder vieram me chamar pra ir embora. Fui com o maior prazer. Aquela música e aquela gente já estavam me dando nos nervos.


Cheguei em casa e já tava me aprontando pra dormir, mas a Britney me chamou para ir no Paul junto com ela. Eles tão no maior affair, então eu disse que não, que ela que fosse sozinha, pra ver se finalmente rolava alguma coisa entre eles. Mas ela implorou, não, não posso ir sozinha, fica chato, blá blá blá, eita mas essa americanada é complicada… daí fui né, fazer o quê… fiquei lá uns dez minutos bocejando, pedi desculpas e disse que queria dormir. Deixei os dois sozinhos lá e quando a Britney saiu pra cozinha pegar a chave, eu olhei pro Paul e disse: você faça alguma coisa, don’t expect her to make the move, man, e olha só, ele finalmente tomou uma atitude! Veio deixar ela aqui em casa no maior dos amassos! É isso aí, meu povo… Xanda Lemos unindo e confortando corações em Keystone!

Nenhum comentário: