quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

19/02/2008 - The court


Acho que se dormi três horas foi muito. A Ashy me acordou às sete da manhã pra gente se arrumar e ir na audiência em Breckenridge, que só seria às dez e meia, mas ela não conseguia mais dormir. Tomamos um café e ficamos fumando um cigarro atrás do outro até dar a hora da gente ir.

Chegamos lá e tinha uns dez presos com aquelas correntes no pé, uniforme listrado e numerado, como nos desenhos animados e nos filmes. Comecei a procurar pelo cara, ele tava sentado com um guri e um velho, provavelmente um parente e o advogado.

Toda a seção foi traduzida simultaneamente do inglês para o espanhol, pois não havia nenhum intérprete brasileiro ou português lá. Foi uma palhaçada; o juiz só disse porque ele estava naquela audiência, e que ele estava proibido de beber ou consumir qualquer tipo de drogas incluindo marijuana, e que não poderia se aproximar da vítima, nem da casa da vítima, nem do trabalho da vítima etc. O advogado dele fez uma petição, pois seu cliente não tem mais emprego aqui e quer ir pra Carolina do Norte, onde ele tem parentes que o podem sustentar. Porra, o cara tem grana pra pagar 15 mil dólares de fiança e agora não tem dinheiro pra continuar aqui… palhaçada revoltante. Na sexta o juiz vai dar a resposta para esta petição e o julgamento mesmo só será daqui a alguns meses, depois de algumas audiências.

Frustrante. Saber que o cara tá solto… ele tava rindo o filho da puta. Ficamos brochados. Viemos pra casa e a Ashey fez uma comida… de tarde eles dormiram e eu fiquei aqui zumbizando. A Amber chegou de Denver deprimida e eu fiquei consolando ela… falei com o Bruno pela internet… às sete fomos no hot tub e desta vez arrastei a Amber. Bati na porta da mulher que cuida do centro de recreação onde ficam as piscinas e ela estava com a minha chave, graças!

Agora acabei de chegar e a Ashey e o Jeff foram tomar banho juntos… espero que eles aproveitem bastante. Porque a Ashey disse que, apesar de não se lembrar de nada, só pelo fato de ela saber ela não consegue sentir nenhum prazer quando ele tenta alguma coisa com ela… e ele não insiste, o Jeff é um amor de menino, quieto, paciente, divertido, inteligente, fico feliz que ele esteja do lado dela nestas horas, compreendendo e ajudando. Mas sei lá… é triste… ver a carinha deles, olhando um pro outro, tão apaixonados e sem ter nenhum clima pra praticar umas safadezas. Foda… sabe que nem eu sei se eu teria clima pra isso, porque eu vi, eu lembro de tudo, e quase vomito quando me lembro… mas chega de falar nisso.

Vou nessa. Nanar!!!! Piscina dá fome e já laricamos o resto do almoço… agora bateu um sono… então boa noite.

Nenhum comentário: