quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

12/02/2008 - It’s been an endless hard day


Não consegui dormir, não consegui parar de chorar, nem de lembrar daquelas cenas terríveis da noite passada. Fui pro trabalho mesmo assim, porque só iria ser pior ficar em casa sem poder fazer nada por meus amigos.


De manhã recebi uma ligação da Ashleigh, ela estava bastante assustada mas não se lembrava de nada na noite passada. Logo depois o Jayme me ligou me perguntando como eu estava, e eu disse, porra, como você acha que eu estou, eu estou bem, mas meus amigos estão no hospital… comecei a perguntar do cara gordo e vesgo e ele disse que ninguém conhecia ele, que ele apareceu na festa do nada, mas que uma amiga dele achava que o cara trabalhava no City Market. Na mesma hora liguei pro detetive Morgan e eles foram lá conferir a informação. Vinte minutos depois o detetive me ligou dizendo que sim, a informação estava correta, tinha um brasileiro com a mesma descrição que eu passei que trabalhava no City Market, mas ele não tinha ido pro trabalho. E que agora ele tinha o nome completo do cara, o endereço, social security number, tudo pra pegar o idiota.


Meio dia meu celular ficou sem bateria e nunca um dia demorou tanto no trabalho, estava ficando louca porque queria a todo custo saber se pegaram o idiota ou não.


Cheguei em casa podre, mas disposta a passar mais uma noite sendo interrogada se preciso, pra acabar de uma vez por todas com esse pesadelo. Coloquei meu celular pra carregar, liguei pro Jeff, ele estava voltando do hospital com a Ashleigh e estavam vindo pra cá. Assim que eles chegaram, contei a última novidade e o Jeff saiu na mesma hora pra procurar o cara no City Market. Tadinho… ele tá arrasado. Todos nós estamos. Quando ele voltou, ligamos pro Drew pra saber como ele estava e ele já estava em casa. Então fomos lá pegar ele pra ir no hot tub com a gente.


Ficamos os quatro sentados um em cada canto da piscina, todos mudos, olhando pro nada. Aquele silêncio pesando nas nossas costas e tanta coisa passando por nossas mentes. Tristeza. Mas apesar de saber que nunca mais seremos os mesmos depois de ontem, tenho certeza de que tudo vai acabar bem e de que amanhã todos nós seremos mais fortes.

Nenhum comentário: