sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A Saga da Lasagna


Bem... posso dizer que a minha história com o Bruno começou com uma lasagna. No dia em que a gente saiu pela primeira vez, ainda não como namorados, chegamos em minha casa famintos depois de um domingo no Rio dos Papagaios. E eu então preparei minha especialidade, uma lasagna vegetariana. Aí ele se apaixonou. Isso foi há oito anos atrás. E como é no carnaval que comemoramos nosso aniversário de namoro, ontem resolvi preparar uma lasagna à bolgnesa. Porém, achei que o molho de carne seria pouco, então para incrementar...

Fui fazer meu molho branco, o mesmo daquela primeira lasagna vegetariana. Piquei cebola, alho, refoguei na manteiga, adicionei uma colher de farinha e o leite. Mas o leite estava azedo, quase virando iogurte. Não me toquei que este litro de leite nós comrpamos no dia em que chegamos aqui, portanto havia três semanas em que ele estava aberto na geladeira. Resultado? Joguei o molho fora e fiz outro, com água. De novo refoguei alho e cebola, adicionei a farinha, depois aos poucos fui acrescentando água, cheiro verde, pimentão vermelho picadinho e pimenta. E dessa vez deu certo. Nem parecia que não tinha leite.

Hora de montar a lasagna. Uma camada de molho, uma camada de massa (integral), outra camada de molho, queijo, mais molho, mais massa... ops! Será que essa massa é aquela que eu costumava usar no Brasil, pré-cozida? Melhor conferir na caixinha. Adivinhem! A massa tinha que antes ser cozida. Lá estava eu desmontando a lasagna, lavando as massas, jogando o queijo melecado de molho fora e botando água na panela pra ferver...

Após sete minutos em água fervente, escorri a massa e comecei novamente a montar a maldita lasagna. Consegui deixar ela prontinha para ir ao forno cinco minutos antes de o Bruno chegar. Estava 2 a zero pra lasagna, mas eu ainda não tinha me dado por vencida.

Assim que colocamos o prato no forno, comecei a conversar com minha mãe por skype e na empolgação da conversa esqueci de olhar a lasagna. Foi o Bruno que, com seu faro aguçado pela fome (e pelo nariz avantajado que eu amo tanto), percebeu que a lasagna já estava pronta. Aliás, mais do que pronta, ela estava queimada!

Hmpf! Que frustração. Mesmo com aquela crosta enegrecida, o Bruno comeu um baita pedação e disse que estava uma delícia. Eu devo confessar que ela até poderia ter ficado pior, tendo em vista todas as dificuldades atravessadas durante seu preparo. Mas enfim, foi 3 a zero para a lasagna. E eu me sentindo a última das últimas cozinheiras! Um fiasco.

O pior de tudo é que o Bruno, hoje de manhã, pediu para eu preparar uma marmita com a lasagna de ontem. Imaginem, se ontem ela estava horrível, hoje de manhã então nem se fale. Eu já estava indo tirar a parte queimada e colocar um queijinho fresco pra disfarçar, mas ele não deixou! Ele gritou: Nãããão! Eu gosto da casquinha queimada. Ok, eu disse. E pensei: 4 a zero para a lasagna.

Eu nem consegui dormir mais depois que ele saiu... o que os colegas de trabalho dele vão pensar? "Coitado desse brasileiro... nunca traz marmita e quando traz, traz esse toco de fumo queimado! Que bela esposa ele deve ter..." 5 a zero pra lasagna!

Felizmente nossa história não vai acabar como começou - ou seja, com uma lasagna. E por me sentir solidária ao meu marido, resolvi aquecer um pedaço da minha mal sucedida especiaria... e sabe que não estava ruim? Verdade! Mas devo confessar que tirei a parte queimada e maquiei ela com queijinho fresco antes de colocar no micro-ondas. Final de jogo: Lasagna 5, Xanda 1. Mas com a certeza de que haverá revanche!

Hasta la vista, lasagna!

10 comentários:

Ana B. disse...

Xanda, que pessoa persistente você é...Estava lendo a saga da lasagna e me colocando no seu lugar, acho que teria atirado o prato pela janela naquela de descobrir, depois de quase metade da dita cuja montada, que a massa não era pré-cozida!
Beijos!

Ivo e Fátima disse...

Xandinha

O aniversário da Teté me "derrubou" (ainda estou na festa, no computador da Marina). Só me restou ser segundo.

Vamos ao que interessa - como disse a Ana, que menina persintente. No primeiro gol da lasanha eu já teria ido no mercado e comprado uma da Batavo...

Mas, como o amor é lindo, e a história da lasanha tudo supera, a persistência da Xandinha foi a vencedora. Eu diria que foi 5 a 1 para a Panda, e não para a a lasanha.

Beijos do Sogrão, infelizmente segundão.

Panda disse...

Ana e Ivo! Obrigada pelas palavras de incentivo! Pelo menos a lasagna dos 8 anos de namoro vai ficar para sempre guardada na memória... hehehe

Anônimo disse...

Xanda, concordo com seu sogro e a Ana, eu já teria mandando ela pra 11 andares abaixo, parabéns pela persistência. Me fez lembrar uma história de minha mãe quando resolveu fazer nhoque logo que casou e não sabia cozinhar, um kilo de farinha pra 1 batata rsrsrs, depois de 3 horas de cozimento o nhoque subiu rsrsrsr, é claro que meu pai comeu e estão juntos há 50 anos, continue persistente, sei que cada dia vai se superar o importante é amar, quanto aos colegas do Bruno,não se preocupe eles nem sabem o que comemos rsrsrs,eles podem até achar que é algum prato brasileiro rsrsrs... bjokas com carinho
Aline

Tete disse...

Xanda e Bruno
Eu e o Carlos tbem fazemos aniversário de primeiro encontro em fevereiro....17/02.
Onde o Carlos fez uma festa surpresa pelo meu aniversário (19/02), convidou minhas amigas decolégiocom os maridos. Foi muito bacana todos reunidos aqui em casa.
Com relação a persistência com a lasanha, realmente vc venceu!
Beijos e saudade!!!!

Anônimo disse...

Xandinha, é a prima Lu. Bom... passo pelo seu blog quase todos os dias e já que hoje li aquelas lindas palavras de incentivo aos anônimos resolvi deixar o acanhamento de lado! hahahah

Concordo plenamente com o sogrão que disse que o placar está: 5 pra vc e não pra lasagna. Em cada obstáculo que vc não desistiu o ponto é seu e não dela.

Prima, beijinhos e muitas felicidades pra vcs dois aí. E continua postando as aventuras que mesmo que elas não sejam tão emocionantes pra vc, pra nós aqui é o máximo. Amamos vc. Beijos de todos.

Aluá :]

diva disse...

Querida Xanda.
Parabens pela gostosa lasanha.Deve ter ficada gostosa mesmo.Continuo tentando fazer comentarios .Tambem me esforço como voce com a lazanha, mas nem sempre sai a contento.Beijos e saudade da Vó Vivinha.

Bernadete disse...

Oi Xanda,
Ontem, no aniversario da Tete, levei bronca do seu sograo porque quase nunca escrevo aqui! Mas acontece que nao consigo ler o blog todos os dias, e quando o faço, acabo lendo varios de uma so vez. Aí, tenho vontade de comentar, mas como ja perderam a validade, acabo deixando pra la. Agora mesmo, pensei em comentar alguns, mas ate acabar de ler tudo, passou...
Sobre os livros, vc ja leu O AMOR NOS TEMPOS DO COLERA do Gabriel Garcia Marques? E lindissimo. E os livros do Italo Calvino? Pode ler qq um q sempre vale a pena. Nao tem nenhuma biblioteca de onde vc possa tomar emprestado?
Ah, ia esquecendo de contar q tb fui assistir Coraline. E realmente muito louco. Achei o desenho muito legal, apesar daquele gato tao feio.
Adorei a produtora Xandy e Brunior. E q tal o sotaquê do Brunô apresentandô o programá?...
Noticias da familia: Joao Pedro ainda esta acordado (sao quase 23h) pq dormiu a tarde no cinema, cujo filme fomos ver por causa dele, com a mae, Marina e Fernando. Hoje Gustavo fez churrasco pq o pai dele estava aqui em Curitiba. Disseram q estava um delicia.
E agora chega de conversa, pq senao nem vcs lêem, de tao comprido q fica.
Um beijao pra vcs dois, e continue tratando bem do maridão, com muitos molhos de coisinhas gostosas e tudo o mais (capriche no "tudo o mais")! Até uma próxima.
Bernadete.

Ivo e Fátima disse...

Sogrão strikes again #5

Que tal hem? Reconhecimento público dos meus esforços na campanha "Faça uma Panda feliz".

Cadê vocês que não vimos on-line em nenhum momento hoje?

Manifestem-se.

Beijos do Sogrão

Panda disse...

Olá a todos! Nossa, que boa surpresa encontrar tantos recados... vamos ver se vou conseguir responder todos:

Aline! Taí um desafio que vou encarar: Nhoque! Em homenagens a meus tios... hehehehe. Depois conto como que ficou. Mas eu não, nem pensei em desistir. E a saga da lasagna, onde ficaria nessa história?

Teté! Felizes Aniversários atrasados (17/02 e 19/02) pra vc! e parabéns para o Carlos tb, pela festa surpresa, deve ter sido emocionante! A gente não lembra o dia certinho do nosso aniversário, mas pelos cálculos achamos que é dia 18/02. Foi em 2001, um domingo antes do carnaval, que passamos juntos em MG.

Lu, que saudades docê! Como vc está? Curtindo as férias em Itapê? E a faculdade? Sei que vc é acanhada e que isso faz parte do seu charme, mas pode comentar aqui sempre que quiser, viu? Beijos em todos aí, amo vcs.

Vó Vivinha, e acho que a senhora está se saindo muito bem nos comentários... mas ainda assim prometo que no próximo post vou fazer um apelo público para a Marina e/ou o Ivo te ensinarem como mexer aqui, ok? Beijos

Berna! Adoro seus recados, sempre morro de dar risada! Pode deixar que o tudo mais está sendo muito caprichado também, hehehehe. Obrigada pelas dicas literárias, nunca li Italo Calvino, mas o Amor nos tempos do Cólera já, é maravilhoso mesmo... aliás tenho que colocar o GGM na minha lista de autores que recomendo.

E Ifinha! Durante os fins de semana a gente dorme até meio dia, acorda, toma café, ontem especialmente a gente fez uma revolução aqui em casa - mudamos tudo de lugar. Depois fomos passear no parque, depois fomos ver umas casas, depois fomos no mercado, depois fomos jogar boliche... computador é só pras horas vagas. E fim de semana eu e o Bruno "nos ocupamos de nós mesmos" hehehehe... Beijos!