quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Como diabos viemos parar aqui?


Sensibilizada com a reação positiva de vocês sobre minhas últimas postagens, me senti impulsionada a refletir mais um pouco sobre a atual conjuntura sócio-político-econômica norte-americana e, consequentemente, mundial. O quadro não é nada animador, e se teve algo que aprendemos muito bem nesses últimos anos é que sim, as coisas ainda podem piorar. Obama que me desculpe.

Mas olhar para o futuro e adivinhar o que irá acontecer daqui para a frente já é muita pretensão de minha parte. Por isso, vou me limitar a responder a questão que intitula esta postagem baseando-me nos fatos do passado, mais especificamente, desde a virada do milênio.

Como não tenho cacife para responder cientificamente minha pergunta, mas criatividade o bastante para imaginar uma boa resposta, inventei uma nova lenda que explica, em parte, a origem desses 8 anos de azar .

Em 2000, quando todos esperavam pelo grande bug do milênio, nada aconteceu. Todos os computadores - essas máquinas que regem e sustentam a humanidade - funcionaram normalmente, para alívio geral das nações. Dos norte-americanos principalmente, pois eles que sempre prezaram por sua própria segurança, a ponto de se tornarem um tanto paranóicos com isso.

Confiantes e auto-suficientes como sempre, mas ainda um pouco chocados com o escândalo Monica Lewinski em 1997 - que feriu a fundo o orgulho e a moral da nação - os americanos elegem, em 2000, o candidato do partido opositor ao de seu último presidente eleito, o imoral e democrata Clinton. Assim, assumia o comando do país George W. Bush, um homem que jamais deveria ter se tornado presidente, embora disso ainda ninguém soubesse.

Bush, mais do que lisonjeado e sempre convencido, ao chegar na Casa Branca em 20 de janeiro de 2001, mandou construir um espelho gigante para que assim pudesse melhor se admirar enquanto exercia suas funções presidenciais. Tão logo fora instalado, George Bush ficou alguns minutos em frente ao espelho, fazendo poses, caras e bocas, até ser surpreendido por uma subalterna que lhe viera trazer um capuccino. Assustado com a entrada inesperada da secretária (e logicamente um tanto envergonhado), Bush toma um susto, se atrapalha, tenta disfarçar mas tropeça num vaso chinês da mais fina porcelana, que por sua vez cai em direção ao grande espelho, fazendo-o quebrar em mil pedaços, quebrando-se também. Assim, instauram-se os sete anos de azar da quebra do espelho, e de quebra, um ano a mais pelo vaso chinês, totalizando destarte a desgraça dos oito anos que viriam compor o seu mandato.

Deste dia em diante, muitas trgédias ocorreram. Em 2001 o mundo assistiu atônito a queda do World Trade Center, no fatídico 11 de setembro. Em 2002 a guerra no Afeganistão fazia 150.000 mortos e nenhum herói, tendo-se descoberto atos vergonhosos de tortura por parte de soldados americanos. Ainda em 2002, pressionado por não ter aderido ao Protocolo de Kyoto, o presidente tenta, em vão, amenizar o ânimo de seus eleitores anunciando o Clear Skyes Act, uma lei para diminuir a emissão de carbono nos Estados Unidos, lei esta que só viria a ser aprovada em 2003 após uma emenda que aumentou o nível de poluentes permitido na primeira proposta. Em 2003 a nave espacial Columbia se desintegra na atmosfera. Em 2004, abalos sísmicos no Pacífico formam a onda gigante que iria devastar o litoral asiático. Em 2005, o furacão Katrina destrói a cidade de New Orleans. Em 2006, o jato Legacy - pilotado por americanos - colide com um avião da Gol e deixa 154 mortos. Em 2007 a queda da Ponte em Minneapolis mata 35 pessoas e deixa mais de 150 feridos. Em 2008 o colapso da economia, a quebra de bancos, de grandes empresas, o desemprego... Nunca antes na história desse país tantas tragédias se sucederam.

E foi assim que, em 8 anos, a vaidade e o orgulho americanos ruíram em mil pedaços, junto com o espelho e o vaso de Bush, segundo conta a minha lenda que tentou explicar a origem de tantos infortúnios.

Mas vejam só, que coisa feia, eu achando cisco no olho dos americanos antes de tirar a trave dos meus olhinhos brasileiros. Afinal, nós aí também estamos tendo de enfrentar nossos oito anos de azar... mas no Brasil, infeliz e literalmente, o olho é mais embaixo!

13 comentários:

Ivo e Fátima disse...

Xandinha!!!

Em primeiro lugar, PRIMIEIRÃO DE NOVO!!!!!

Prosseguindo, que maravilha de texto. Explicado porque Bush o Idiota estragou com o Mundo nesses seus 8 anos de azar.

Sem esquecer, que a eleição dele foi roubada do Al Gore, que obteve a maioria dos votos populares, e só perdeu por causa do chuncho feito na Florida, governada pelo Bush o Idiotinha, onde cédulas com dúvida a favor de Gore eram dadas como nulas e cédulas com dúvidas pró Bush eram dadas como boas.

Lembre-se também que a Suprema Corte, dentro de toda a sua pretensa respeitabilidade, deu "ganho de causa" a Bush o Idiota.

Fazer o quê? Torcer para que a tua teoria dos sete anos de azar esteja certa, e efetivamente o mundo comece uma nova era.

Beijso do Sogrão

Ivo e Fátima disse...

Esqueci de comentar sobre o Monte Rushmore com uma cara a mais - tá loco!!!

Beijos de novo.

Sogrão

Ana B. disse...

Xanda, comece já a escrever um livro! Guria, você é boa demais nisso!
Beijos da fã (que já quer garantir o seu exemplar autografado!)

Panda disse...

Obrigada Ivo, o Primeirão, por acrescentar valiosas informações ao meu texto. Enquanto isso a gente torce para que Obama consiga reparar os danos causados ao mundo pelo Bush, o Idiota. Beijos da Alexandra, a Grande.

Panda disse...

Ana! Quem me dera... quem sabe um dia lanço a coletânea dessas postagens. Mas para sua felicidade, vou lançar um livro em maio, que se chama Opereta dos Bichos. Deste você já pode esperar um exemplar autografado se for no lançamento!!! Bjos

Panda disse...

Se o Lula lesse essa postagem, certamente diria que a culpa foi da secretária... hehehehe

Anônimo disse...

Xandinha você é meu orgulho! Na minha infinita ignorancia nada tenho a acrescentar ao seu ótimo texto. Mas discordo que oLulu fosse culpar a secretária, ele iria dizer que não sabia de nada, basta!
Beijos da sogrinha não ultimona desta vez

Talita disse...

Sim Fátima, dá licensa, rsrs MEU também!!!
Ótimo texto mesmo filha, é de família, seu tio avô jornalista Dídimo Paiva escreveu o prefácio de um livro do famigerado Presidente Keneddy, perdoe-me se a grafia de Keneddy estiver errada, rsrs...
Mas quanto a lenda do azar...credo em cruz, toc, toc, toc na madeira, mangalô três vezes, Xôooooooooo azar, que a era do mal disseminada pelo Bruch estja com seus dias contados.AMEM????

Panda disse...

Mothers!

Que bom que ficaram orgulhosas... vcs são muito sortudas! Pois eu sei que não são todas as sogras que se orgulham das noras, e não é sempre que os pais podem se orgulhar dos filhos, então estou cumprindo minha missão de filha e nora prodígio! hehehehe

Mami, não se esqueça do lado do papai... Tio Jorge e o João Batista Lemos foram jornalistas e escritores impecáveis!!!

Eu ainda chego lá!

Anônimo disse...

Cheguei...
Xanda lembre-se da herança via DNA, vc leva consigo tb o dom de nosso avô Alfredo, seu texto esta ótimo e concordo com sua sogra, o lula diria: Eu não sei de nada, eu não vi nada... e por ai vai.
Saudades de ti linda...
Beijokas enormes no seu coração com muito carinho
Aline

Panda disse...

orbigada, prima... e a receita de gorgonzola vou ter que fazer quando vcs vierem me visitar, porque o bruno detesta gorgonzola!!! bobinho, não sabe o que está perdendo!!! hehehehe bjos

Tete disse...

Ois,....onde vocês estão???? Nada de postagem na fim de semana?
Não pode deixar os leitores sem sua leitura habitual!
Beijos

Panda disse...

Tete, passamos o fim de semana no Tennessee, acabamos de chegar e estamos pregados... amanhã eu faço o up to date, hehehe...