sexta-feira, 27 de março de 2009

Vida de Panda...

Vim de uma terra distante, próxima à província de Shaanxi, na China. Lá eu gozei de uma infância feliz, junto de minha família de Pandas Gigantes. Eu adorava subir nas árvores mais altas e de lá contemplar a magnitude do céu e as pequenices das coisas chãs.


Um dia, porém, em uma de minhas caminhadas que iam cada vez mais longe, me perdi nas montanhas. Passei dias vagando pela floresta e finalmente encontrei uma aldeia. Mas os homens daquela aldeia eram maus, e eles me prenderam num cubículo e lá me deixaram, numa dieta de apenas um bambuzinho por dia.



Perdi a conta de quanto tempo fiquei ali aprisionada. E confinada em minha solidão, já tinha perdido as esperanças de reencontrar os meus amigos e familiares. Foi então que comecei a cantar... os homens, irritados com os meus lamentos sonoros, resolveram me deixar partir. E segui vagando, novamente, pela floresta. Mas a floresta já não era a mesma. Os homens haviam destruído grande parte do verde para construir suas vilas.


Fiquei desolada. Quase sem esperanças, fui em busca dos meus, tentando imaginar se a civilização teria chegado em nossa terra sagrada e o que teria acontecido com minha adorável família. Caminhei durante dias, cada vez mais tendo de me embrenhar na mata fechada, evitando assim a rota dos homens. Estava exausta!

Foram dias penosos. Os suculentos bambus eram raros... felizmente, algumas vezes encontrava um oásis de eucaliptos para saciar a fome. Tive de manter uma dieta vegetariana, uma vez que os rios estavam poluídos e os peixes me causavam intoxicação alimentar.


Foi numa dessas pausas para o descanso, enquanto eu cantava destraidamente e me servia de folhas frescas de eucalipto, que encontrei o Panda da minha vida. Ele se aproximou, fazendo um hã-ham, para que eu notasse sua presença.


O que faz uma Panda sozinha por essas bandas? Ele perguntou, todo galante. Então eu expliquei minha triste história... e ele, comovido, me assegurou que dali para frente eu não tinha mais o que temer, pois ele jamais me deixaria sozinha. Assim começou nossa história de amor.


Ele me ensinou muitas coisas. Me mostrou o lado bom da civilização. Juntos, éramos completos! Eu me sentia tão feliz quanto na infância. E por mais que a saudade da família fosse grande, aprendi a conviver com ela.


Nós éramos felizes. Dividíamos tudo em todos os momentos. E o amor, cada dia mais, só crescia entre nós. Ele gostava de me ouvir cantar. E sempre que podia, me acompanhava improvisando sons percussivos com o corpo e com varetas de bambu nas madeiras ocas das árvores.


Até que um dia montamos uma banda com outros Pandas roqueiros. Fizemos muito sucesso. Vejam a capa de nosso primeiro álbum!


E, com o sucesso, veio o dinheiro e a fama. O que tinha seu lado bom. As mordomias, o carinho do público, a satisfação ouvir uma multidão de pandas cantando suas músicas!



Fui convidada até a fazer parte do clipe de abertura do Pandástico, nos anos 80.



Mas os paparazzi não nos deixavam mais em paz. Estavam sempre a nos espreitar, mesmo em nossos momentos mais íntimos.


Assim não dava pra ser. Nossa privacidade não tinha preço. Resolvemos partir para algum lugar onde não mais nos incomodassem. E hoje desfrutamos das delícias do anonimato, num país muito distante, e vivemos felizes para sempre!

25 comentários:

Alessandra Pilar disse...

Ráááá.... PRIMEIRONA DE NOVO!!!!!!!

Alessandra Pilar disse...

hehehe... adorei a historinha! E os dois pandinhas perdidos num país muito distante viverão felizes para sempre!!!! hehehe

Essa última imagem está muito safadinha hein?
bjos

eliza disse...

uma fofura.

Panda disse...

ué, os pandas também amam e também fazem safadezas, Pilar! hehehe...

Elaiza, você veio! Beijos

diva disse...

Adoravel.

Beijos vo´

Vo´Vivinha.

Anônimo disse...

Paanda,
como estao as coisas por ai?
meu unico minuto livre esta semana resolvi entrar, deixar um beijo e dizer que estou com saudades!

Beijos
Marina (:

Panda disse...

Obrigada, Vó Vivinha!

Mana, andas muito azafamada? Estou bem, estudando bastante pra conseguir pegar uma vaga no mestrado... no último simulado que fiz, já estou só a 10 pontos do score que preciso pra entrar. Tenho pouco mais de uma semana pra atingir os 800 pontos necessários, e se possível (sempre desejável) ultrapassá-los. Vamo que vamo!!!

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda

Que historinha batutinha! As fotos de você ainda morando na China estão sensacionais, com uma expressividade difícil de se conseguir.

Como saí de casa hoje de madrugada (fui para reunião em São Paulo no vôo das 06:55), só cheguei em casa quase meia noite - todo mundo já tinha comentado - perdi a pole de novo...

Vamos lá

Beijos do Sogrão

Panda disse...

Ifinha, dont worry! thats business life. Acabamos de ver monstros x aliens 3d, muito legal!!!

saudades.

bjos panda e bruno

Talita disse...

...e neste país muito distante são felizes, certos de que tudo valerá a pena, e que um dia, qdo voltarem a terra natal encontarão o bambuzal novamente verdinho, tenro e farto da infancia, os amigos saudosos e de braços abertos ao querido casal de pandas
e pandinhas que certamente hão de vir, pra alegria geral!
Entrou por uma porta, saiu por outra.
Quem quiser que conte outra.

Panda disse...

hehehe, mami vc é demais!!!

Panda disse...

aliás, o que fazes acordada até essa hora? Insonia? Balada? Eu estou acompanhando o curitiba calling, um festival de rock em curitiba que tá com transmissao ao vivo pela net. acabei de ver o tile numa banda eletronica! e domingo toca a cosmonave, seis e meia da tarde.

www.mondobacana.com

curitiba calling

beijos

e parabéns curitiba pelos 316 anos.

fatima disse...

Antes tarde do que nunca! Que historinha adorável, donde você achou tantos pandinhas com a carinha que precisava ter?? Magicpanda I love you!
Beijos

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda

Ói eu aqui tráveis, agora com a mente um pouco mais pura e leve, pois ontem depois de congestionamentos de Congonhas até o centro, reunião o dia inteiro, e congestionamento de novo para voltar para o aeroporto, a gente fica meio bobo.

Vou pegar aqui o gancho da Pilar e da Talita - tá certo, pandas amam e fazem safadezas. E pandinhas? Quando os pandas vão fazer padinhas? Eu sei que os cientistas dozem que a repodução de pandas é muito rara e difícil, mas, se for por falta de bambu ou de eucalipto, mando um container para vocês - e um de 40'...

Beijos do Sogrão de novo.

Panda disse...

Fatiminha! Pesquisa de imagens do Google... depois salva no computador e insere na postagem. A história meio que se formou a partir das fotos... hehehehe... foi engraçado.

Sobre os Pandinhas... boa pergunta, Ivo. Quando? Se for pra ter, acho que daqui um ano, quando a gente estiver mais estabilizado aqui E com histórico de crédito, porque por enquanto temos que pagar tudo à vista, na lata, e vamos ter gastos a dar com pau com a nossa mudança para a nova casa.

Bjos!!!

Talita disse...

Xanda pode ficar tranquila a minha passagem eu 'agarantiu" sim já pedi pra Evi me dar as cocordenadas de onde comprar pra comprarmos juntas.QuaNto antes a gente compra mais barato fica?Funciona pra viajens internacionais tb?
Alguem como o Ivo pode me dar essa informação?rsrs
è que ele vive voando, né?
bjs nos meus panduchos fofuchos!

Tete disse...

Xanda!
Adorei a história da família Panda...emocionante!!!

Beijinhos meus e do Carlos

Panda disse...

Que bom mami! Vamos esperar o Ivo se conectar pra ver se ele ajuda com essas informações, que eu tb nao sei como funciona...

Teté e Carlos, que bom que gostaram! Beijos pra vcs tb!!!

eliza disse...

estou sempre aqui, babe. mesmo quando não comento.
ontem e sexta vc foi uma figura quase presente no festival...
todos falavam, estamos on line, a xanda tá vendo.
saudade.

Panda disse...

Pois é Eliza! Nunca me senti tão em casa em terra estrangeira como neste findi! Acompanhei online todos os dias, comentei quase todas as bandas, hahaha, já virei a comentarista oficial do festival. Tive direito até a peitinhos da babi só pra mim!!! E o show do Mosha foi emocionante, cantei junto e o Bruno nem acordou... hj tem cosmonave, uhuuu! amanhã provavelmente vou escrever uma resenha com impressões sobre este festival!!! Bjos

Ana B. disse...

Xanda-Panda! A-M-E-I a estorinha e as fotos! Quando é que vc vai escrever um livro, mulher? Vc vai desbancar aquela escritora do Harry Potter!
Beijão!

Panda disse...

Obrigada, Ana! Eu um dia chego lá, não se preocupe, hehehehe... um dos meus sonhos é virar escritora. E também cantora, atriz e comediante.
hehehehe, verdade. E quero ir no Jô dar entrevista.

Anônimo disse...

amei adoro os pandas

Panda disse...

Eu também!!! Tanto que quando meu cunhado me apelidou de Panda só porque rimava com Xanda, adotei o nome na hora!

guibson disse...

adorei o Kiss *.*