sexta-feira, 20 de março de 2009

Sobre as Pessoas de Curitiba


Achei esse texto nos arquivos do meu computador... e como não estou tendo muito tempo pra escrever, aí vai mais um prontinho. Hehehe... E olha que linda que eu era quando tinha 2 aninhos!

d
e
s
encontros
cu
ritibanos

Curitiba, cidade modelo, cidade ecológica, cidade da gente, cidade sorriso? RÁ RÁ, não sei da onde! Nunca vi curitibano mostrar os dentes. Tá, NUNCA também é demais. Mas a maioria do povo daqui não ri à toa não, pra qualquer pessoa.

Moro nessa cidade há 28 anos dos quais 15 passei na mesma rua, na mesma casa.
Conto nos dedos quantas vezes entrei nas casas vizinhas ou quantas vezes um vizinho me sorriu.

Mas criança eu entrava. Tinha a maior boa vontade pra descobrir a casa dos vizinhos. Que segredos tinha, quantos quartos, qual o cheiro, que imagens, de que religião, que tipos de móveis, etc. Mas provavelmente intrometida, barulhenta e estabanada, nunca fui convidada a voltar para nova visita.

Então cresci. E fui me curitibando com os anos. Hoje sou isso aí.

Vejo minha vizinha da frente pela janela da cozinha e me limito a movimentar assertativamente a cabeça, bem séria.

Oi mesmo, só digo quando encontro no elevador.

Depois espero aquele silêncio incômodo.

4

3

2

1

Térreo.


Tsc, ah! Que incômodo nada.
Normal.
Aquele silêncio natural, que se instaura entre dois ou mais curitibanos, dentro do elevador.

Não sei, mas talvez curitibano seja chucro só porque seja tímido e encabulado demais. E medroso.
Eu por exemplo. Tenho medo de dar oi. Medo de sorrir, só por educação, e de não ser correspondida.

Mas do que eu tenho mais medo é de já ter sido apresentada várias vezes e putz! não lembrar o nome.

Melhor nem olhar.

Vou fingir que não vi.


Meu primeiro sorriso pra uma vizinha - outra criança barrigudinha e bem criada como eu
foi retribuído com uma língua torta e uma cara feia.

Nunca mais, daí.

18 comentários:

Alessandra Pilar disse...

Eita, adorei a fotinho!!!
Você era loirinha! Que legal!
bjos Panda

Ivo e Fátima disse...

Pandinha Curitibaninha

Acho que vou ter que me acostumar em ser o segundão. A Pilar pegou totalmente o timing da coisa. Azar o meu - se esperte rapaz.

Sabe que eu nunca tinha visto uma foto de você criancinha? Veja só!

Será reflexo da alma Curitibana, você não mostrar e eu não pedir? Mais um ponto para tua análise.

Beijos do Sogrão, agora sempre segundão...

Panda disse...

Sim! Loirinha dos cabelos cacheados!!! Depois virei essa coisa. hehehehe.

Ifinha! Fique esperto que agora a Pilar tá no páreo não só disputando o primeiro lugar, mas também, junto com vc e com a Fátima, no quesito assiduidade no blog. Vcs vão ganhar um prêmio quando eu chegar aí. Aguardem.

Alessandra Pilar disse...

hahaha... Ivo não fique triste! Foi você mesmo que me ensinou que tem que garantir o primeiro lugar! hehe.

Pandinha, adorei mesmo a fotinho. Muito fofa! E quanto à assiduidade, adoro teu jeito de escrever e sempre venho dar um cheiro pra ver se vc atualizou. hehe. bjo grande!

Anônimo disse...

Hehe... O engraçado foi que uma vez, nós, pobres da rua de baixo fomos convidá-las (Tati e Xanda) para a festa junina na pracinha do bairro e até a sempre tão simpática Talita que conhecemos, disse um redondo não!!!
Anos depois eu e a Tati dividíamos o mesmo espaço no ônibus cheio (que nos faz pensar sobre a veracidade da lei de dois corpos não ocuparem o mesmo lugar no espaço) viajávamos até o Cefet, onde assistiríamos a mesma aula, fazendo sempre de conta que não nos conhecíamos, hehehe...
Um dia nos falamos e ficamos amigas e um dia ela me convidou para ir no aniversário da irmã mais nova e eu pensei: Aquela que eu nem conheço, mas acho metidinha? Hehehehe...
Cuidado a curitibisse pega!

Bjs,
Evi

Talita disse...

Eu já nem disputo mais, contento-me em ler e comentar.
Que linda essa foto Xandinha, é uma de minhas preferidas, foi tirada lá em Vila Velha, na primeira vez que fomos lá, logo que viemos de SP.Estávamos descobrindo e maravilhados com as belezas do Paraná!
Dificil mesmo o jeito curitibano de ser, rsrs, ele até fala com vc mas vc tem que "dar" corda, rsrs
Mas esse jeito cosmopolita introspecto é em parte xenofobia mesmo, me desculpem os curitibanos, rsrs.O paulistano é assim tb.Mas nós aprendemos a ama´-los mesmo assim, daí,rsrs.Eu me orgulhava em falar aos paulistas que morava na Bélgica brasileira, que povo educado, bonito, muito à frente do que qquer outro povo brasileiro!E ainda penso assim, Curitiba é referencia mundial todos sabem disso.Todo emigrante se sente segregado em terra estranha, se isso acontece com pessoas de um mesmo país imagine com vcs aí em Charllote!No caso de vcs aí, é só dar tempo ao tempo, logo se sentirão integrados no "american way of life" tão cobiçado pela grande maoiria das pessoas.Pois então minha filhota, e genro querido aproveitem ao máximo o privilégio de estar aí "por cima da carne seca" como se diz na giria, rsrs...o banzo inevitável, demora mas passa...
bjs

Talita disse...

Matei dois coelhos", rs respondi aos dois últimos posts.
Não sou tão lerda como pareço, rsrs
bjs

Panda disse...

Evi! Curitibisse pega! Pega muito e, pior, não há vacina nem remédio que disfarce os sintomas. Heheheh... depois que vc me conheceu viu que estava enganada, né? Que eu fui uma das pessoas mais legais que vc conheceu, né? Hehehhe... e mais humildes também!!!

Mami, quanto tempo! Tava com saudades e ficando preocupada já. Afinal vc, a Evi e a Aline são as únicas "membras" que representam minha família neste blog! A Cris veio uma vez, depois desistiu, daí... hehehe, quem disse que daí é coisa de pato branco, a gente já tinha notado desde os idos anos 80 que os curitibanos falavam daí no final da frase, daí. Um beijo entào daí né? Dondalieta. Amo vc, mami!

diva disse...

Xada,voce esta´uma gracinha quando pequena.Que bom que continuou bonita..Devagar estou aprendento fazer comenta´rios e melhorar o meu portugues.O que gosto e´da minha turma sempre se manifesta.Uma noticia gostosa.Amanhã vai ter polenta com galinha e vamos pensar muito emvoces.Beijos saudosos da vo Vivinha.

Anônimo disse...

Claro que depois descobri essa doce pessoa que é vc!!!!
Os curitibanos e os atacados pelo vírus da curitibisse são assim... Para se protejer levantam o nariz e andam sem olhar para os lados, passando a falsa idéia de serem enjoados e metidinhos (hehehe), mas eu, depois que voltei do exílio, dou mais valor a essa terra!
Beijo, te amo!
Evi

Panda disse...

Obrigada, Vó! A senhora está de parabéns, toda moderninha e "cibernética"heheheh... hmmm, polenta com galinha ai, churrasco no fausto... afff!!! tanta coisa que estamos perdendo. mas agora vou fazer um café bem americano pro Bruno: omelete de espinafre e pancakes!!! Beijos te amamos!

É verdade, Evi, o nariz empinado é a defesa dos curitibanos. Mas eles são boa gente, sim! Veja você, a família do Bruno, e tantos outros! Eu não troco Curitiba por nenhuma outra cidade no Brasil!!! Beijos.

Anônimo disse...

Ohhh que injustiça!!!
Vc esqueceu de citar a prima como representante da família no blog. Tudo bem que eu comentei uma vez só, mas eu leio todos os dias, sem excessão e fico a mais desapontada das mortais quando entro no blog a noite e vc não postou.
Beijos Pandinha!!
Lu*.

Panda disse...

Lu, desculpaaa!!! Mas realmente, vc tem que comentar mais, hehehe... beijos, petit! Saudades.

Dag disse...

Panda, estou adorando encontrar voce sempre com notícias diárias. Voce é um encanto mesmo, como escreve bem menina!!!! Ouvi suas músicas, seus videos, a banda Cosmonave, enfim, estou me inteirando do seu diário de bordo, e torcendo pra que continuem cada vez mais felizes. Curtam a vida e se curtam mesmo,afinal esta é a melhor parte do bem viver. Beijos carinho e muito saudade.Dag

Panda disse...

Dag! Que linda suspresa te ler por aqui! Volte sempre e deixe seus comentários carinhosos para fazer uma panda feliz. E uma panda feliz significa um Bruno feliz também, hehehe... beijos e tudo de bom pra vc.

André Ramiro disse...

Eu adoro o silência....como diz Thomas Mann, "...andavam calados porque eram pessoas que conheciam o valor da palavra, e não costumavam taglerar inutilmente"...muito curitibano isso. hahaha

Wimbers disse...

Nossa realmente Curitibanos tem uma imensa dificuldade em se relacionar, estou na cidade ha dois meses e nunca conheci um povo tão mal educado, em São Paulo por maior que seja o kaos e a correria ainda se pede licença se da um bom dia boa tarde e boa noite. E ainda tem louco que diz que aqui as pessoas são educadas são é interesseiras só tratam bem quem tem algo material a oferecer bando de sangue-sugas.

Anônimo disse...

que medo!! jamais irei a curitiba cidades são todas iguais, quem viu uma viu todas, mas gente não, gente é sempre surprendente, gente nos ilumina com um sorriso uma palavra se o povo duritibano nao tem isso não ha nada para ver lá