segunda-feira, 9 de março de 2009

Dia Internacional da Mulher



A mulher, por não ter a força física e a brutalidade viril masculinas, sempre foi considerada o sexo frágil. Pois geralmente a mulher é mais delicada, emotiva e mais sensível do que os homens. Mulher chora por qualquer coisinha. Chora quando tá feliz, chora quando está triste, e às vezes até chora sem nenhum motivo aparente. Mas no fundo, toda mulher é forte.

Mulher foi feita a prova de dor. Quem tem cólica todo mês, faz depilação na virilha ou teve filhos, sabe bem. As dores não são páreo para as mulheres. No meio disso tudo, ainda arranjam tempo para cuidar de si, fazer as unhas, arrumar o cabelo, passar um creme pra atenuar as rugas e deixar a pele macia e perfumada. Mulher que é mulher, é vaidosa. Porque toda mulher, pra ser feliz, tem que se sentir bonita e desejada.

São as escolhas que definem as mulheres. Há as mulheres santas, que escolhem doar suas vidas para ajudar o próximo, esquecendo-se, muitas vezes, de ajudarem a si próprias. Elas só são felizes quando se sentem úteis e não ligam muito para vaidade, embora passem longe de serem desleixadas. Dentre as mulheres santas que conheço, cito minha mãe e a Tia Cati.

Há as mulheres práticas. Aquelas capazes de realizar trabalhos com a agilidade e o raciocínio masculinos, mas com a perfeição e o capricho característicos dessas mulheres. Geralmente virginianas, as mulheres mais práticas que conheço são a minha sogrinha Fátima e as minhas irmãs Tati e Evi.

Há as mulheres artistas. Quase sempre instáveis, as mulheres artistas não gostam de rotina e sempre estão inventando alguma coisa pra sair dela. A estabilidade é algo que não lhes apetece, pois é somente nas horas instáveis que a mulher artista consegue estravazar o turbilhão de sentimentos que povoa sua mente maluca. Eu e minha irmã mais velha, Cris, somos mulheres artistas.

Há as mulheres marias, que vivem suas vidas para a casa, para os filhos e para os maridos. As mulheres da vida, que vivem nas ruas a saciar a sede de sexo dos homens. Há as mulheres que gostam de outras mulheres, enfim, existem mulheres de todas as cores, de várias idades, de muitos amores... hehehehe...

Não dá pra classificar, simplesmente, as mulheres. Todas elas, dependendo da hora, têm que assumir maneiras diferentes de lidar com a vida. E é assim, com essa capacidade maleável e mutante, que se fazem as super mulheres. A vocês, maravilhosas mulheres de minha vida, rendo minha homenagem!

9 comentários:

Anônimo disse...

Cheguei primeiro... auhauhauhau
Aline

Anônimo disse...

Prima, pra vc tb, estamos juntas neste barco. Nosso dia? todos... Assim como dos homens, das crianças, das mães, dos pais, etc... lutamos, todos os dias por dias melhores... Esta que é a verdade, parabens para todas.
Ivo, desculpe-me a brincadeira do cheguei primeiro, mas não pude resistir quando vi tudo limpinho...
Beijokas em seu coração
Xanda, beijokas no seu coração tb e no maridão.
Meus pais mandam beijokas, minha mãe tira a bota dia 24.
Com carinho
Aline

André Ramiro disse...

Viva todas as mulheres deste planeta, mas acho injusto haver apenas um dia de comemoração...ao menos 364...e deixar um para os pobres homens...haha.
bjoo

Talita disse...

E eu em segundo, Aline! rsrs...
Verdade mesmo Xandinha essa capacidade da mulher se adaptar e tirar de letra,jogar em todas as posições, contra tudo, ser camaLEOA é SÓ da mulher!Filha fico muito lisonjeada pelo seu alto conceito sobre minha pessoa,apesar de não ser merecedora,agradeço, só vc mesmo pra me supervalorizar assim.Obrigada de coração!
bjs, bjs ,bjs!

Ivo e Fátima disse...

Coitadinho do Sogrão

Caiu para quarto lugar!

Ontem estive de olho o dia inteiro para falar com você no teu próprio dia, mas vocês não apareceram!

Como não deu ao vivo, vai agora os parabéns pelo dia da Mulher (e pela excelente crônica - Xandinha, pense na Gazeta...)

Beijos mil do sul do Brasil

Sogrão

P.S.: como foram de futebol no parque no sábado? E que tal o calorão aí hoje? Nesse exato instante, está mais quente aí (27 graus) do que aqui (26 graus)...

Anônimo disse...

Eu fiz 2 comentários que sumiram???Cadeles????
Vou fazer de novo, mas só para frisar EU tinha sido a primeirona...
Agora nem lembro mais o que eu comentei....
AHH sim.....
Tudo que eu queria era uma cinturinha destas....e que você minha querida é uma das mulheres que fazem a diferença, para melhor na minha vida, obrogada!
Beijos

Panda disse...

De baixo pra cima: Anônimo, se você for a Aline, seus dois comentários ainda estão lá, figurando nos primeiríssimos lugares!

Sogrão, "findi" semana eu tiro férias do computador e me dedico inteiramente ao meu amor, por isso vc nao conseguiu falar comigo! Fomos jogar bola no parque, mas domingo. Não tem nada mais Curitibano do que passar o domingo no parque! Eita, nóis é capiau mesmo.

Mãe, que supervalorizar que nada. Você não foi canonizada ainda porque não é católica. Só por isso. Hehehehe...

Ramiro, vc é sempre muito gentleman! Desde as épocas do martinus. Hehehe. obrigada!

E Aline, minha primoca, que bom que a tia já tá prestes a tirar a botina. Eu sei o quanto isso é incômodo, eu que já usei essas botas pelo menos 2 vezes em cada pé. Épocas de futebol. Agora, só pelada no parque. Pelada de jogo, galera. Hehehe...

Bjos a todos.

Cris disse...

E eu que só entrei hoje no seu blog de fato sou a última!

Mas nem por isso vou me intimidar!!!
Minha linda... as mulheres são assim: mil em uma só. Todas são um pouco artistas, um pouco marias, nem sempre tão práticas, nem assim tão santas como a mammy e a tia caty... mas somos múltiplas, e exatamente por essa característica maravilhosa, indispensáveis ao caminhar da humanidade!!! Feliz dia das mulheres atrasado a todas nós!!!
te amo...

Panda disse...

Cris, os últimos serão os primeiros!
Beijos minhirmã! Te amo também.