segunda-feira, 30 de março de 2009

Festival Curitiba Calling


Este fim de semana Curitiba me chamou. E, como não poderia atender pessoalmente, nada melhor para uma roqueira exilada como eu comemorar os 316 anos da minha cidade acompanhando online o festival. Foram 40 bandas em 3 dias, mas eu confesso que não consegui assistir a todas. Algumas simplesmente por não me agraderem, outras por não estarmos em casa no horário em que tocaram. Mas para mim seria indispensável ver a performance dos meus pupilos da Cosmonave e das minhas ex-companheiras no Gianninis, que estreiaram sua nova banda Uh La Lá! Também não poderia perder a volta do Mosha, uma das minhas bandas prediletas da cidade durante os anos 90, que estava há 6 anos sem tocar e que em 2007 sofreu a perda do baixista Mário Baena, de quem todos nós que tivemos a oportunidade de conhecê-lo, sentimos falta.

A transmissão pela net foi a grande novidade do festival. Quem não podia (ou não queria) comparecer, teve a opção de assistir aos shows no conforto de casa. Nem por isso deixei de cantar, dançar, tomar uma cerveja, exatamente como eu faria se estivesse lá no 92 graus, o espaço lendário do rock curitibano, que marcou e muito a história de tantas bandas, inclusive da minha, Criaturas.

O primeiro dia não me agradou tanto. Perdi o show que eu queria ver, do Giovanni Caruso e o escambau. Das bandas que vi, nenhuma me saltou aos olhos ou aos ouvidos com excessão talvez do Pão de Hamburger, pois eu realmente não esperava nada de uma banda com esse nome. Surpreendentemente, o som era bom, as músicas boas, e os músicos competentes, conseguiram fazer um show conciso. Narciso e nada é a mesma coisa. Easy Players é tão tosco que a gente até simpatiza. Our Gang tem um som eletrônico dançante muito bom, mas o show foi comprometido pelo grau de bebedeira de alguns integrantes. Heitor e Banda Gentileza não me agradou, embora eu reconheça que os caras conseguiram fazer soar uma big band mesmo com o som embolado no palco. Mas pop demais pro meu gosto. No geral, me surpreendeu a quantidade de vocalistas desafinados. Eu até entendo que a concepção do belo na pós modernidade admite sonoridades dissonantes, mas eu ainda acho que a falta preparo vocal da grande maioria das bandas curitibanas é algo que compromete, em muito, a qualidade musical de nossa cidade.

O segundo dia foi melhor. O som que chegava no computador não estava mais rachando nos alto-falantes, e a quantidade de bandas boas foi bem maior. Uh La Lá! arrazou. Composições boas, execução quase impecável, sonoridades diversas que não deixaram de conferir uma unidade sonora à esta banda que foi uma das estreiantes da noite. Nevilton, de Umuarama, também me agradou. Boa comunicação com o público, músicas legais, vozes afinadas e a simpatia que só a gente do interior tem. Terribilles, outra estreiante cujos músicos têm entre 17 e 20 anos de idade, muito me surpreendeu. Boas composições em inglês, bem arranjadas e bem executadas. Ponto para o vocalista, que retrucou um comentário maldoso do público com uma resposta rápida e afiada. Esta banda foi a vencedora do último concurso promovido pela Gazetinha, o mesmo que a Cosmonave ganhou em 2007. O que só aumenta a credibilidade do prêmio.

O Mosha foi um caso à parte. Muita emoção. Embora na minha opinião o som do baixo - que melhorou no final do show - estava agudo, muito aquém do que a gente costumava ouvir com o Mário. Mas Mário no céu, Mosha na terra, a reunião após 6 anos de espera só trouxe boas lembranças. Anacrônica sem dúvidas faz juz ao sucesso na cidade. Suas músicas são cantadas em coro pelo público e o som é executado com muita pegada. Sandra tem uma presença de palco excelente, mas pecou pelo figurino. Uma banda do porte da Anacrônica não pode relaxar nesses quesitos mais bobos. Tocar com moletom amarrado na cintura é só em ensaio e olhe lá!

Mordida sempre agita e dispensa comentários. A formação baixo, bateria e guitarra deu mais peso pras canções. E embora, na minha opinião, o teclado tenha feito falta em algumas músicas, o show foi excelente! Charme Chulo é outra banda famosa da cidade. Apesar de o som não ser muito do meu agrado, tenho um carinho muito grande por eles e acredito que em matéria de originalidade, eles são nota 10! A peculiaridade na performance de palco do Igor é sempre algo a se reparar. Mas cover de Tonico e Tinoco (Moreninha linda do meu bem querer...) foi demais pro meu gosto. Assim e já com sono, não consegui assistir Dissonantes...

Domingo eu só vi o finzinho do show do Red Tomatoes e, óbvio, Cosmonave. Eu sei que sou suspeita, afinal sou tia, produtora e muito fã dos meus sobrinhos. E talvez também pelo som estar chegando quase perfeito no computador após 2 dias de progressos sonoros na transmissão, na minha opinião Cosmonave certamente figurou entre as melhores bandas do festival. Deu saudade. Deu orgulho. Deu aquela sensação de que eu sempre fui acessório, pois os meninos caminham muito bem sozinhos. Performance de palco cada vez melhor, melhor comunicação com o público, talento, humildade e simpatia que lhes são característicos. Os garotos são espertos...

Enfim, como disse em comentários anteriores, nunca me senti tão em casa em terra estrangeira como neste fim de semana. Deu pra dar uma de comentarista e pra curtir uma balada curitibana a milhas de distância. Parabéns aos organizadores do festival pela excelente iniciativa! Sei que vocês deram duro não somente nos 3 dias de festa e infelizmente, sei que pouco ou nada receberão em troca de tanta dedicação e trabalho. Mas fica aqui o meu reconhecimento como forma de agradecimento a todos vocês que proporcionaram este fabuloso e internacional encontro!

Tudo sobre o Festival em www.mondobacana.com.

21 comentários:

Alessandra Pilar disse...

Ráááá... primeirona!

Alessandra Pilar disse...

Pronto, garantida a pole agora vamos ao comentário:
Eu só descobri que seria transmitido ao vivo pela internet ontem, aff. Senão teria assistido aos outros dias também. Então só posso comentar de ontem! Odiei Livia e os piá de prédio! Musiquinhas toscas, a voz da vocalista muito desafinada (até eu canto melhor). O que era a música do Caderno G, ridícula e repetitiva. Não gostei mesmo! Red Tomatoes, melhorzinhos. Gostei mais ou menos de Nuvens,algumas músicas com uma sonoridade mais trabalhada, mas no geral achei a banda meio pesada nas letras e o vocalista se perdeu um pouco nos tons. Eles mesmos é uma banda só pra "eles mesmos" com perdão do trocadilho. Um estilo que não me agradou. Rockabille tudo bem, mas punk com rockabille não dá. Agora tenho que concordar contigo sobre a Cosmonave, os meninos estavam demais! Estão melhor na presença de palco e o som está cada vez mais limpo. Estão tocando coesos e são cada vez mais uma banda de promessa. Tem tudo pra estourar no cenário nacional.
Chico adorou ver o irmão no palco e toda vez que o Yan aparecia ele fazia hã hã e apontava. E o detalhe é que ele viu o show peladão, pois eu estava preparando o banho dele quando começou o show, e pra não perdermos trouxe ele assim mesmo. hahahaha!!!! Espetáculo!!!

Pandinha, acho que me estendi no comentário. Ah! Então quer dizer que vc vai lançar um livro é? Eu só descobri ontem quando li tua resenha lá no site. Muito legal! Quero um exemplar viu? bjosssss

Panda disse...

Pilar! Teríamos feito boa dupla de comentaristas no chat do festival. O povo já tava me chamando de boca dura, hahaha... mas mesmo assim, as bandas estão de parabéns. Tocar bem ao vivo requer muito mais que talento (o que infelizmente, falta muito em muitas bandas). Requer um bom dia pra show (vai mesmo de humor!), um bom retorno pra se ouvir no palco, além de controle do nervosismo... são vários fatores que interferem numa apresentação. Mas a Cosmonave superou todos, e eles merecem!!!

Beijos em vc e no pelado roqueiro!!!!

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda

Cá estou, segundão, mas nunca ausente.

Pena que a minha conexão é horrível, e não consegui acompanhar a Cosmonave (ou talvez eles já estejam voando tão alto que o meu computador não consegue mais segui-los...).

Beijos do Sogrão

P.S.: eu estava comportadinho e vestidinho tentando assistir o Cosmonave - nada de roqueiro peladão.

Fernando Souza disse...

Xanda, textos como o seu transformam o "pouco ou nada" da organização em "muito e tudo". E concordo muito com suas impressões!
Abraços!

Will disse...

Muito obrigado pelos elogios, que bom que você curtiu nosso som!
Pra gente que tá começando agora, é muito legal receber esse tipo de reconhecimento! =D

Abraços,
Will do The Terribilles

diva disse...

Querida Xanda.
Pena que naõ entendo nada de Banda;mas li até o Fim.Naõ perco uma palavra.Com carinho Vó Vivinha.Em tempo O dinheiro do Bruno segue amanha via Ivo.Beijos mil;

icroc disse...

Ficamos muito felizes que gostou do som! Bela foto pra ilustrar o belo texto, só faltou uns peitinhos..hahaha
beijão!

icroc disse...

aliás, aqui é o ivan (Uh La La!)

fatima disse...

Oizinho só pra fazer uma panda feliz! Sucesso para os garotos! Fiquei com muita vontade de ouvir Criaturas na minha garagem......muuuuuiiiiita vontade mesmo.
Beijos

Panda disse...

Sogrão! Esta sua conexão precisa urgentemente de reparos! Você merece mais velocidade em sua banda para acompanhar as bandas online. Hehehehe...

Fernando! Que bom que apreciou minhas imrpessões! Vcs foram oátimos, parabéns de novo.

Will, o início de uma banda é a fase mais legal da vida!
Aproveitem, se dediquem e continuem fazendo música boa que sempre serei fã!!!!

Vó Vivinha, obrigada por tudo!!! Já está manjando de blog hein?

E Ivan! Se não fosse você me lembrar hein... as minhas amigas roqueiras desnaturadas nem iam mandar beijo pra mim!!! Obrigada e parabéns, sucesso pra vcs tb!

Beijos da Panda na conta do Bruno.

fatima disse...

Primeirona!
Cadê o texto???
Assim não vale...não brico mais

Panda disse...

Xii, fatiminha! Acho que vc tá viajando!!! além de não ter sido a primeira, comentou na postagem de ontem, hehehhe. Mas mesmo assim vc fez a panda feliz. Vc sempre faz.

Bjos

André Ramiro disse...

É, a internet faz milagres hoje em dia. haha.
Bacana este festival, viva o 92 que nunca pode acabar, jamais!!!
bjo

Panda disse...

Ramiro! Realmente o festival foi demais, e a novidade da transmissão por internet deu muito certo.
bjo

pão de hamburguer disse...

ei, brigadão pela parte que nos toca!
essa parada do nome é engraçada mesmo, mas fica melhor que as pessoas não esperem nada da gente, assim acabam por ter alguma surpresa, pelo menos. abraço do pão, e cosmonave é massa!

Panda disse...

Oi Pão! Vocês fizeram uma sonzeira e estão de parabéns. E eu concordo com sua tese. Sempre que fui conferir bandas ou filmes que todo mundo indicava dizendo que era um tesão, achava palha. Porque esperava demais.Mas vcs realmente foram a salvação do primeiro dia do festival!

pão de hamburguer disse...

é bem assim mesmo hahahah

Anônimo disse...

Olá.

Ficou bom seu artigo. Te mando um link de um poeta que mora em curitiba. Um pouco soturno, mas interessante...


Um abraço

Anônimo disse...

Aí vai o Link:
http://www.overmundo.com.br/perfis/edimoginot

Um abraço

Anônimo disse...

Hey, merci pour la sympathie.

Lausac Beaumont - Easy Players