quinta-feira, 16 de julho de 2009

Pestes e Budapeste

Meus abondonados leitores, perdoem esta humide blogueira que não vos escreve, é que ultimamente não tenho tido tempo para me dedicar a este diário, uma vez que estou com a casa cheia. Além de vó e Daniel, o nosso hóspede americano ainda está por aqui e todas as minhas atenções estão voltadas a eles, ao Bruno e aos trâmites burocráticos de minha admissão na UNC.



Primeiro tenho que correr atrás de um negócio chamado "proof of immunization", ou seja, para assegurar um ambiente livre de epidemias estrangeiras, preciso provar que tomei vacina contra caxumba, catapora, rubéola, tuberculose, febre amarela, dentre outras doenças das quais nem mais me lembro.

Digam-me, quem de vocês ainda tem sua carteirinha de vacinação? Eu não tenho. Então fui à UNC para perguntar o que eu tenho que fazer uma vez que não posso provar que sou uma garota limpinha e vacinada. A moça do setor de epidemologia já queria me dar umas duas doses de vacina ali na hora, talvez com medo de ser contaminada. Para tanto eu precisaria pagar 90 dólares, achei caro, não estava psicologicamente preparada para injeções, disse que ia ali e já voltava e fui embora para o setor de alunos estrangeiros, perguntar outras coisas.

No departamento internacional fui atendida por uma mocinha simpática muito fã do Brasil, e espantosamente ela sanou todas as minhas dúvidas num português impecável, quase sem aquele sotaque americano característico; não havia erres retroflexos nem consoantes oclusas aeradas. Ela morou um ano e meio no Brasil numa cidadezinha do interior de Minas dando aula na Cultura Inglesa. Um amor. Então agora eu sabia que deveria fazer a minha "application for employment authorization" pelo site da imigração, e que para tanto eu teria que desembolsar 340 doletas. Afe que até eu começar a receber vou deixar meu marido pobre pobre pobre de marré de si.

Enfim depois de tudo isso, a vó o Daniel e a Paula - minha fiel escudeira - já estavam de saco cheio de ficar circulando pelo campus pra gente não precisar pagar mais estacionamento e viemos embora. Isso foi na segunda.

Terça-feira já estava conformada de pagar 90 dólares para as primeiras 2 das 7 doses mínimas de vacinas que terei que tomar nos próximos 7 meses, quando me veio na idéia averiguar se aqui não tinha um serviço de de imunização gratuito. Não seria possível que, num lugar onde tem tudo, não tivesse algo parecido com um postinho de saúde. Liguei pra Paula, minha fiel escudeira e principal assessora para assuntos aleatórios e ela logo me retornou com um número de telefone. Liguei lá, me deram outro telefone, liguei de novo, esperei na linha uma meia hora, até que uma moça disse rélou e a linha caiu. Serviço público, você gira o mundo e é sempre a mesma coisa. Liguei de novo. Esperei de novo. Dessa vez atendeu um rapaz e consegui marcar minhas duas primeiras doses gratuitas mais o tal do TB skin (teste de tuberculose) por 19 dólares. Valeu a espera!

Tanta coisa pra pensar e com que me preocupar até eu finalmente começar a estudar e dar aulas que não consegui dormir. Li Budapest a noite inteira, engoli palavra por palavra, capítulos por capítulos, terminei o livro e comecei tudo de novo porque ele é meio confuso e exige muito do leitor e a minha mente estava esgotada mas quando consegui dormir já era hora de levantar. Bruno saiu do banho e resmungou que eu não tinha feito o café hoje de novo e eu levantei como um zumbi mal-humorado e fui descendo a escada, bocejando, gosto de guarda-chuva na boca, a escada acacabou finalmente, eu pensei, mas não, ainda tinha um degrau, quase me empacotei às cinco da matina mas não sei como, que anjos do céu me seguraram, e eu não caí. Voltei pra cama, novamente fui pra Budapest e já estava no Rio de Janeiro, no apartamento de Vanda, quando dormi de novo.

Tadinhos do Daniel e da vó! Acordei só dez e meia e estava um caco, fui tomar banho e só quando eu desci foi que eles foram tomar café - praticamente um brunch, afinal de contas era mais um almoço que café. E para compensá-los deste descompasso de péssima cicerone (onde já se viu deixar os hóspedes passando fome até essa hora?!), fomos para o centro da cidade ver os arranha-céus, a estação de trem, o trem, o bonde, os estádios, os prédios antigos.



Fomos ao Levine Museum e nos divertimos à bessa! Depois fomos almoçar, eram quase três da tarde, no Briixx, uma pizzaria com forno à lenha. Esteve muito bom.




Depois fomos no Birkdale Village - primeiro lugar onde a gente morou aqui - e fizemos comprinhas e tomamos sorvete. Calor, muito calor.



Chegamos em casa e logo depois o Bruno chegou com o Arthur do trabalho, pegaram o Daniel e foram pro I-max assistir Transformes na tela gigante.

Eu e a vó assistimos Carlota Joaquina com legenda em inglês - DVD emprestado pela Paula, minha fiel escudeira, principal assessora para assuntos aleatórios e amiga com quem posso contar para todas as horas. Agora cá estou eu, a vó lá na sala lendo Budapest, a luz do escritório aqui acesa e os mosquitos burros do lado de fora querendo entrar fazendo um barulho irritante na janela . Os rapazes ainda não chegaram do cinema e minhas costas estão doendo da minha quase queda às cinco da matina na escada e a saudades do Brasil, claro, sempre aumenta.


Então, a minha horta está bem vivinha e cada dia mais vistosa. Tenho cuidado bem dela e cada manhã é um tomatinho novo que aparece. Por agora passamos quase duas horas programando nossas férias de agosto com Ivo e Fatiminha. Ali antes das aulas começarem terei tanto o que contar que este blog vai ser a sensação de agosto, que será então um mês de dar gosto, ao invés do mês de desgosto!! Mas é isso, caros leitores! Até breve!

13 comentários:

Ivo e Fátima disse...

Primeirão

Talita disse...

Segundona, rsrs

Talita disse...

Tadinha de minha Pandinha, stressada e trocando o dia pela noite!!!Não pode menina, tem dormir a noite pra ter ânimo pra começar em o dia!Cair da escada é um perigo tem que segurar no corrimão, é pra isso que ele existe, lembre-se, minha Adorável filhinha.
Imperdoável deixar Daniel e Diva ao Deus dará...Que isso não se repita mais heim!Onde irá parar sua reputação de boa anfitriã desse jeito, rsrs...Lembra da receita do seu pai pra dormir?É só pegar o livro mais chato(Tipo aquele que eu levei pra vc) e tentar ler, rsrs vc dorme logo.
Não se preocupe além do nescessário, com calma tudo se resolve.Take it ease baby!
Kisses for all!

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda!

Ufa - que semana!

Mas prepare-se. Você vai ver MESMO o que é ter que dar atenção a alguém quando nós chegarmos aí (hahahahahahahaahahahaha)...

Beijos

Sogrão

Panda disse...

Mami! Vc sabe que vou seguir seu conselho, aproveito para terminar aquele livro que vc trouxe porque pior que um livro chato para mim é a agonia de deixar um livro pela metade, hehehe... que bom que vc chegou bem.

Ifinhaaaa! Estou tão empolgada com a vinda de vcs que mal posso esperar!

Bjos

Ma Zagonel disse...

adoreeei as fotos
pelo visto estao aproveitando mesmo. quando eles voltarem vao se assustar com o frio :x

mande beeijos para todos por mim
:D

Marina

fatima disse...

Ultimona!
FALTAM 27 DIAS!!!
Me aguardem.

Xanda siga os conselhos da sua Mami, segure no corrimão, dê de comer para a Vó Vivinha ou só a horta vai continuar vivinha....
Cuide das costinhas por que só faltam 27 dias para você ter de aguentar a sogrinha e o Sogrão 24h sem folga!!!!
O Paul que se segure, a Rocky Montain vai tremer nas bases!
beijos para todos, anfitriões, hóspedes, amigos e agregados.

Alessandra Pilar disse...

Pandaaaaaaaa... que saudades menina!!! Estou aqui no fim do mundo desligada do mundo virtual. Mas consegui finalmente entrar pra dar um cheiro.
Bom, o pessoal aqui de Floripa está apaixonado pelo cd das Criaturas!!! Um amigo nosso está doido por Águas Passadas e já tirou no violão. Mas eu sou uma péssima amiga e ainda não escrevi a letra pra ele! hehehe. E já estão todos baixando o Cd viu. Sucesso total!!! Bom, a turma quer tocar todas as músicas, então se vc por acaso tiver os acordes em arquivo me manda por email? Please!!! Se não tiver tudo bem, nosso amigo é bom de tirar de ouvido e vai tirando aos poucos. hehehe.
Bom, amada. Hoje passei só pra dar um cheiro.
Ah! Fiquei com inveja de você, quero ler Budapeste também!!!!

bjãooooo

Panda disse...

Pilaaaaaar! Quanto tempo! Olha, este blog não é o mesmo sem você, e o sogrão que o diga! Espero que estejam curtindo as férias tão merecidas! Como tá o Chico? E sua mami, também fugiu do frio? Mande um beijo pra eles. Uau! Obrigada pela divulgação, Pilar! Não tenho as cifras em arquivo, mas vou me esforçar pra fazer o mais rápido possível e não somente enviar, como também publicar no blog dos Criaturas. Mande um beijo pra esse amigo bom de ouvido e diga a ele que Águas Passadas é tb a minha predileta do disco! E um beijo especial para você, muack!!!

Panda disse...

Fatiminha, que inspiração neste comentário! Dei muuuita risada!! E estou comendo as unhas para vocês chegarem e a gente desbravar esse país aproveitando tudo de melhor que ele tem a oferecer: mega shows, mega aquários, mega cassinos, enfim!!! Que venham os sogrões!

Panda disse...

Marina, lindona! Estamos aproveitando tudo e mais um pouco. Espero que vc já esteja 100% recuperada! E volte sempre, deixe recadinhos! Ainda não achamos o perfume do seu amado, mas vou continuar procurando, ok?
=)

Panda disse...

Mami querida! Que saudades de você... não se preocupe com minha noite insone, você sabe que eu sou sua filha mais notívaga de todas, fácil fácil trocar as noites pelos dias. Mas prometo segurar no corremão e tentar dormir mais cedo. Te amo! Vc ficaria orgulhosa de ver como vai nossa horta... esses rabanetes são deliciosos! E os pepinos tão carregadinhos de flor, e mais altos que a tela que a gente montou!!! Bjos

Panda disse...

Ifinha, mal vejo a hora de vcs chegarem!!! Uhuuu!!! Bjos