sábado, 17 de agosto de 2013

Big Sur


Clique na foto e use as setas do seu teclado para ver slides
ampliados desta postagem.

Definição:
1. Região na costa central da California em que as montanhas de Santa Lucia se levantam gloriosamente do Oceano Pacífico.
2. Rio que nasce e corre naquelas montanhas e desemboca no mar.
3. Livro do Jack Kerouac lançado em 1962 que narra sua cold turkey na cabana do amigo, editor e poeta beat, Lawrence Ferlinghetti -- Lorenzo Monsanto na novela -- então proprietário da hoje sexagenária City Lights, a livraria que visitamos em San Francisco a alguns posts atrás

O nome Big Sur deriva do original em espanhol "el sur grande" -- o grande sul -- ou "el país grande del sur" referindo-se à península de Monterey. A paisagem, composta de cenários fabulosos, faz do lugar uma atração turística im. Per. Dí. Vel! Parte pelas pontes históricas (inauguradas em 1932) que ligam abismos impressionantes (vários deles) que passamos pelo caminho. 

Eu prefiro as curvas da California 1
Embora não tenha fronteiras definidas, o Big Sur é mais ou menos tudo que fica entre Monterey (190 km ao sul de San Francisco), e São Luis Obispo (390 km ao norte de Los Ângeles). Ou ainda o simplesmente fabuloso fim da América, onde o continente termina num belo, despopulado, assustador, espetacular e maravilhoso barranco!

Pulando a cerca em Santa Cruz

Depois da pira em Davenport e da cura na floresta das sequoias gigantes, saímos de Felton em direção a Santa Cruz. Lá tinha o Museu do Surf num pequeno farol (que estava fechado), e alguns surfistas remando num Pacífico tão pacífico que nem marola dava! E claro, uma vista estonteante!

Monterey, CA
Então seguimos viagem e fomos almoçar em Monterey -- a capital de sardinhas enlatadas, onde comemos (não sardinhas enlatadas) e onde tomei a melhor margarita da minha vida ever.

De pança cheia em Monterey
Depois do almoço tínhamos que cumprir uma missão muito importante. Procurar a casa dos sonhos da Fátima! Uma que ela viu nos idos dos 97 e desejou oniricamente. Com as "pistas" do sogrão sendo mais exatas impossíveis, tipo coordenada geográfica militar, e um GPS, ou melhor, i-phone (resumindo, com Google Maps), encontramos a casa facilmente.

A casa dos sonhos da Fátima nos 20 anos de casados dela e do Ivo
15 anos depois, a casa dos sonhos da Fátima, mas nossa foto não favorece.

De lá pegamos a Seventeen Mile Scenic Drive, uma estradinha à beira mar com pedágio de 10 dólares para você passear por entre veredas e mansões do mais famoso campo de golfe na costa oeste, em Pebble Beach. Você paga para ser lembrado de seu lugar na escala social. Paga para ver com os próprios olhos que a riqueza do outro não tem limites, e que os magnatas que jogam golfe cagam e andam de carrinho elétrico para os problemas do mundo. Porque eles sabem muito bem como e onde se ocupar e esbanjar, e manter, sua fortuna. Compram paraísos depois te cobram uma taxa para cobiçá-los.

Recortando a costa milionária da California, chegamos em Carmel, uma cidadezinha charmosa, historicamente conhecida como a cidade dos poetas e dos artistas. O próprio nome é uma imagem poética, um verso: Carmel by the Sea. 

Mais uma antiga Missão em Carmel

Dizem que Carmel é a melhor amiga dos cães. Restaurantes, mercados, hotéis, todos os estabelecimentos são dog friendly. Por outro lado Carmel não trata assim tão bem as mulheres nem os travecos e suas vaidades. Há uma lei que proíbe o uso de salto alto e/ou plataforma na cidade! Porque o pavimento não é high-hill friendly e muita donzela processou prefeito por lesões no tornozelo. Pois é. Vejam vocês que até Carmel tem seu calcanhar de Aquiles.

Saindo de lá tem outra estrada com pedágio. Trata-se de uma reserva natural de proteção à fauna e flora, chamada Point Lobos State Reserve. Mal entramos no parque e nos deparamos com uma família de veadinhos atravessando a estrada!

Parada para descansar e admirar a vista em algum ponto do Point Lobos State Reserve

De Point Lobos e Carmel na beira mar, fomos para nossa cabana nas montanhas. O Big Sur River Inn é um pequeno paraíso cravado no vale, à beira da estrada. Atingimos o ápice da comemoração das nossas Bodas de 5 anos de casamento ali.


Fizemos o check in depois jantamos no restaurante finíssimo do hotel e ficamos namorandinho sentados numas cadeiras que ficavam na beira do rio (mais especificamente dentro do rio) Big Sur. 

Rio Big Sur, atrás do nosso hotel/cabana.

Depois voltamos para o quarto, e por lá nos entretemos até onze da noite. Pois à uma da manhã (portanto na primeira hora de 08 de agosto, nosso aniversário), tínhamos um compromisso inusitado: um banho de madrugada, da 1 às 3 da matina, nas piscinas térmicas do Instituto Esalen a mais ou menos 14 milhas do hotel. 

Uma das piscinas térmicas do Esalen Institue, do lado de lá da escuridão, o mar.

Esta foi outra grande dica do blog da Candice Bittencourt e funciona exatamente como ela explica lá... a gente chega, estaciona o carro, espera dar uma hora, outros carros vão chegando e estacionando e esperando, até que aparece um carinha super zen do nada e nos explica como o tour funciona. 

Bem vindos ao Esalen Institute, quem tiver lanternas, use pois hoje não tem lua e o caminho está mais escuro. Vamos descer uma trilha de 10 minutos até as Hot Springs. Por favor façam silêncio e tentem caminhar com o mínimo de ruído possível, pois há pessoas dormindo nas cabanas e elas não devem ser incomodadas, etc.

Tudo assim, num tom místico e misterioso. E à medida em que fomos descendo a escuridão foi aumentando. O céu estava tão estrelado, eu nunca tinha visto tanta estrela cadente na vida! Umas dez ou mais! Repeti pedidos. Perdi a conta.

A experiência é única! Você peregrina com um grupo de mais ou menos 15 pessoas -- homens e mulheres, velhos e jovens, heteros e viados, barrigudos ou em forma -- até chegar num vestiário grande e todo mundo vai tirando a roupa e ficando peladão, maior clima naturista! Você não precisa usar roupa, mas também não é obrigado a ficar pelado.

A gente primeiro foi com roupa de banho mas depois acabou ficando nu, afinal de contas não é sempre que podemos nos despir de roupas e dogmas e imergir em termas naturais nas montanhas do Big Sur à beira do Pacífico!

A água é tão quente que dá 10 minutos e você já pula pra fora, e nem sente o frio das montanhas, e depois entra de novo. Não estivéssemos nós no paraíso, aquilo bem poderia ser a boca do inferno. Pois as águas sulfurosas são borbulhantes e limosas, e cheira enxofre e ovo podre. Mas hot spring é isso aí, fede e rejuvenesce, cura reumatismo, cólica, unha encravada, são infinitos efeitos benéficos de tal imersão. E depois é só tomar uma ducha de frente pro oceano (eles oferecem shampoo e toalhas) pra ficar bem cheiroso de novo, pronto pra voltar pro hotel dormir o sono dos justos!

Assim a sucessão de dias perfeitos continuou... porém já estávamos na metade do caminho. Na próxima postagem partiremos para a reta final dessas fabulosas férias...

11 comentários:

Ivo disse...

Pandinha linda

Inicialmente eu tinha imaginado que a comemoração do aniversário de casamento tinha sido no próprio hotel! Nunca tinha ouvido falar do Instituto Esalen. Aliás, tem muita coisa das quais nunca ouvi falar. Vou dar uma chegada no blog da Candice para ver se encontro alguma dica italiana especial!

Beijos do Sogrão

Panda Lemon disse...

Sogrão! O Esalen existe desde a década de 60. É uma comunidade alternativa, uns moram lá, outros vão se tratar... e também é uma comunidade relativamente fechada, tirando o public night bath que custa a bagatela de 25 dólares por pessoa, os demais cursos e tratamentos devem ser uma fortuna, apesar do label institucional de "non profit". E tem que marcar com no mínimo 3 semanas de antecedência, porque o negócio é disputado! Bjos

rose borges disse...

Ai que delícia ler seu diário! A única coisa que eu sabia de Carmel , além de ser linda, é que o Clint Eastwood foi prefeito de lá e que era proibido fumar na rua.

Panda Lemon disse...

C tá certíssima Wrouzie!

Vários prefeitos de Carmel foram famosos diretores, escritores, atores...

E não somente lá, como em San Luis Obispo, é proibido fumar qualquer coisa (cigarro, charuto, cachimbo, narguilé, ópio, crack, maconha) em lugares públicos.

Lá tu fuma o que quiser, mas dentro da sua casa.

Fátima Zagonel disse...

Xandinha...a casa dos meus sonhos continua linda....adoro aquela entrada de vies e aí a sacadinha, agaivota de madeira...hummm
As fotos estão uóóótimas, menos a da casa, ora ora..
Que lugar fantástico este do tal banho "peladões ao molho sulforoso", que já vem com cheirinho de pum!!!
Aguardo ansiosa as novas peripécias desta dupla querida.
Beijins from Fatimins

Panda Lemon disse...

Hahhaa, poxa vida Fatiminha! Desculpe-nos! Eh que a gente nao achou a casa dos sonhos tao linda assim (ficamos um pouco decepcionados inclusive porque achamos que a sua casa tirando a localizacao eh muito mais dos sonhos do que aquela de Monterey) mas enfim, realmente, a foto ta favorecendo o carrao dos nossos sonhos, hahahaha....

Sara disse...

Eu adoro viajar e conhecer novos lugares, espero que em algum momento têm a oportunidade de fazê-lo, eu acho que nós precisamos fazê-lo para ter a chance de crescer como pessoas e eu acho que quando eu terminar de viajar de volta para trabalhar restaurantes em santana

Talita Lemos disse...

Maravilha de narrativa!

Talita Lemos disse...

Li hoje no Facebook, - Viaje pra uma comemoração...Se algo ruim aconteceu, viaje pra esquecer...Se nada acontece, viaje pra que você algo aconteça! Nada mais verdadeiro. Boa

Talita Lemos disse...

Li hoje no Facebook, - Viaje pra uma comemoração...Se algo ruim aconteceu, viaje pra esquecer...Se nada acontece, viaje pra que você algo aconteça! Nada mais verdadeiro. Boa

Talita Lemos disse...

Maravilha de narrativa!