terça-feira, 17 de setembro de 2013

Altos Sons em Atascadero


Rumo a Atascadero

Dando continuidade ao memoir californiano, narrarei agora a última parte -- nem por isso menos prazerosa -- de nossa inesquecível viagem à California. Saindo do coração do Big Sur, a próxima parada era em Atascadero, uma cidadezinha nas montanhas, perto de San Luis Obispo. 

Missão de San Luis Obispo

Lá, num rancho perdido em Paradise Valley mora Alexandre Lacerda. Talentoso curitibano que, além de ser meu xará e um designer fudidão, toca baixo, guitarra, sax, bateria, e agora também se aventura numas produções caseiras de áudio. Ou seja, o cara é oááátimo.


Rancho dos Lacerda


Foi graças a essas curiosas coincidências da vida que encontrei Alexandre. Segundo ele, a gente já se conhecia desde o final da década de 90, ainda na época em que eu tocava no Wasted. E talvez por encarnar com tal afinco o nome da banda, eu já estivesse muito wasted naquela época, confesso que não fazia ideia que o conhecia pessoalmente. 

O anfitrião


Enfim, por esses mistérios mesmo da vida, foi justamente o exílio -- ainda que distinto, em costas  opostas -- quem nos aproximou. Desde que fizemos uma produção juntos no ano passado (cujo resultado vocês ouvem aqui), foi decretada a feitura de novas empreitadas sonoras. Depois de Lucy in the Sky já havíamos iniciado outro projeto musical à distância. Mas quando decidimos ir à California, resolvemos deixá-lo de lado e terminarmos por lá. 

Endo e Mister Cat
Assim, num belo dia ensolarado, Ale e sua esposa Maria, uma alemã linda, e seus cãezinhos enormes, mais três cavalos guapos e o Mr. Cat nos receberam em sua casa com todas as pompas dignas de convidados VIP. Foram dois dias de muita música, cerveja, churrasco, e até um lual sem lua, mas de um céu tão estrelado, e à beira de uma fogueira sem a qual certamente estaríamos todos congelados. Pois parece que em Atascadero é assim: de dia, calor do inferno. De noite, frio de deserto. Enfim! Dias e noites felizes! E o resultado da nossa segunda parceria você pode conferir aqui.

Lojinha charmosa em Santa Ynes

Tst, ah. Como tudo que é bom passa rápido, e os dois dias passaram assim, voando. Logo tocamos fumo na estrada, rumo a Santa Bárbara. Mas antes, passando pelos vales da California 154, e conhecemos cidadezinhas muito batutas. Recomendação infalível de Ale e do querido Zé Emilio Rondeau: Los Olivos, que deve ser a cidade do mundo com mais vinícolas por metro quadrado, e onde é claro, embebedei-me.


Moinho em Solvang
Depois Solvang, um povoado bem sossegado estilo europeu. Nas palavras do Rondeau: "menoreszinhas e com duas personalidades distintas, a primeira é uma cidade do faroeste que ficou chique; a outra, uma colônia dinamarquesa." E ainda passamos pela charmosa Santa Ynes,

O último pôr do sol da viagem em Santa Bárbara


E o que teria sido de nós sem as valiosas dicas dos amigos nessa viagem? Graças a estes adoráveis chegamos em Santa Bárbara com sensação de dever cumprido. E em Santa Bárbara, qual outro paraíso!  Pôr de sol maravilhoso! E a pousada em que ficamos fechou a viagem com chaves de ouro. E deixou vontade de voltar em breve... que assim seja! Aaaaameeen.

No pier de Santa Bárbara

2 comentários:

Tininha disse...

Lugares lindos com dicas pitorescas, imagens lindas mesmo,adorei saber de cada detalhe. Novo som, e dicas para quando eu for à Califórnia. eheheh
Beijos saudosos.
ps.(Que possam viajar muito, para dividir suas experiências com dicas sensacionais para novos viajantes) :D

Panda Lemon disse...

Tininha! Gracias por dar o ar de sua graça aqui nos comments! Sinto-me lisonjeada por ter amigos como vc, sempre com palavras lindas e bons incentivos. Luv ya! Bjos