quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Cuecas Bélicas

Gaddafi nos States, Kadafi no Brasil, cada qual com seu cadáver, o cadáver principal da Líbia. Os rebeldes já sem motivos para matar desperdiçam munição e metralham o céu. Kadafi morreu ou não morreu? Morreu, morreu. Antes ele do que eu. Oh well. O mundo é cruel. E forças terríveis continuam maquinando tudo, movendo o mundo, onde está o amor? A revolução acabou, e agora José? E agora você?

Revoluções não são nada sem romantismo. Revoluções perderam todo o sentido. Todas as minúcias das revoluções hoje tão bem documentadas, estudadas, re-inventadas. Temos acesso a tantas e variadas perspectivas: cada qual com suas farsas e sua parcialidade obrigatória, porque a imparcialidade nada mais é do que uma frieza, um distanciamento falso, vã tentativa de impessoalizar essas tragédias políticas, sociais, econômicas, que mais do que isso, são tragédias individuais, essas não, nunca saem nos jornais.

Revoluções vitoriosas já nascem fracassadas. Porque depois da vitória, vem a realidade: demolir estruturas não é o mais difícil. Reconstruí-las é que serão elas. E assim, toda revolução é seguida de uma decepção, e de novo fracasso: revoluções invariavelmente desembocam sempre neste lugar comum que é o lugar nenhum.

Hoje manifesto meu profundo desprezo pela raça e sua inacreditável disposição bélica.

Espero a paz invadir e dominar o planeta.

2 comentários:

Ivo disse...

Impressionante! A cada dia que passa as análises da Pandinha são melhores e mais profundas!

Beijos do Sogrão.

Panda Lemon disse...

Sogrão coruja!

Beijos