terça-feira, 11 de outubro de 2011

O Caso do Quibe

O primeiro quibe foi assim, meio que como o primeiro beijo. Insosso. Sem sal. Muito hortelã. Molhado demais. Decepcionante. Mas foi com vontade, com carinho, e é lógico, com medo e receio. Como se não bastasse tanta apreensão, vocês homens lá, sempre colaborando com o nervosismo de nós, mulheres. Muita expectativa pra cozinhar o prato mais famoso da sogra. Poxa vida! Competir com comida de mãe? É muita pretensão e, por que não? Até uma covardia. Mas enfim. Até que no fim pra um primeiro quibe nem ficou tão mau assim.


4 comentários:

Cris Lemos disse...

ahahaha... beleza hein??? deve estar uma delícia!!! ou vai ficar??? te amo..... e a Fátima que se cuide, porque eu nunca te vi fazer nada mal feito... rsrsrs beijocas

BZAGONEL disse...

Kibe assado tava uma delícia! Sobrou um pouco e vai ser minha janta de hoje. Mais ainda temos muito o que melhorar, o próximo será gostoso tanto assado quanto cru!

Panda Lemon disse...

vixxx olha o quibe foi um fracassinho messs... mas estava comível!

E é só com muito amor mesmo que o Bruno pode dizer que o quibe assado tava uma delícia.

Tava nem ruim nem bão.

Tava meia boca.

Mas obrigada meus entusiastas de plantão!

Amo vcs.

Ivo disse...

Pandinha linda

Lembre que a Fátima não sabia fazer polenta com galinha, e hoje a dela supera que é feita na casa da minha mãe. É só questão de tempo!!!

Beijos do Sogrão