sábado, 1 de outubro de 2011

A Ilíada no Guairinha



Oi, vocês! Tudo bem por aí? Por aqui tudo ótimo! Uma loucura, como sempre, mas como sempre, a gente dá conta do recado!
Falar em recado, tenho um recado que me foi enviado por um amigo, que também foi meu professor de Latim na UFPR.
Uma pena que eu só vi o e-mail agora, senão teria divulgado antes.
Mas nunca é tarde! E mesmo se for, antes tarde do que nunca!


Repassando:
"Pessoal, Hoje e amanhã (dias 1-2 out.), às 20 horas, no mini-auditório do Teatro Guaíra, récita do Canto I da Ilíada, tradução de M. Odorico Mendes, na interpretação da atriz Claudete Pereira Jorge, com entrada franca. O diretor Octavio Camargo está liberando a entrada só hoje e amanhã. Basta dizer na bilheteria que é convidado dele. A apresentação já viajou por diversas cidades do Brasil e de outros países. Vale muito a pena, principalmente num palco como o do mini, com iluminação especial. Homero é o educador da Grécia. Odorico é inimitável. A Claudete é uma das mais refinadas rapsodas da companhia Ilíada-Homero. Ouvindo bem é que se aprende. Imperdível. Alessandro"

Então é isso! Se aí estivesse, certamente diria "sou convidada do Diretor" e iria. A última peça que assisti no Guairinha foi Esperando Godot, do Samuel Beckett. Não era convidada do diretor, o Flavio Stein, mas mesmo assim foi oátimo. Quem puder então, por favor, vá por mim e depois venha fazer uma panda feliz, comentando aqui e dizendo como foi. 

Um abraço e aos interessados, clique aqui para mais informações.

2 comentários:

meuparedro disse...

Xanda, é o "Fragmentos de um Discurso Amoroso" ( Fragments d´un discours amoreux ) de 1977, o livro (ou compilação) mais direto e contra-teórico dele.
Eu tenho a 7a edição, de 1988, tradução de Hortência dos Santos; livro de cabeceira p/a vida toda,
ele faz o "coro" de todo o arco dramático da vida da gente!
Beijo !

Panda Lemon disse...

Tks, Gil!