sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Você ainda pode sonhar - Parte I

O sonho salvador de Dalí

De que adianta ler tanto, quatrocentas páginas de pensamentos de quatrocentos anos, cem anos atrás, sem ter tempo de processá-las, de degustá-las, de digeri-las, de fazê-las enfim valerem para alguma coisa mais do que três páginas de análises frias, vagas, inconsistentes, muitas vezes?

Há enfim, que se dar um tempo para assentar as novas ideias, ou ao menos para jogar algumas fora, e reformular as que já tínhamos em mente. E principalmente, para botar algumas em prática. Fazê-las brotar no campo concreto da forma, banindo e abandonando este abominável abstracionalismo acadêmico. Testar, experimentar, fazer parte do mundo, esse playground de empiricismos a serem conquistados. Mas não há tempo! Nunca há tempo.

E de pensar que há tanta gente ociosa, que poderia estar desfrutando do pensar, construindo, criando boas ideias, e botando-as em prática. O que aconteceu? Que inversão mais doida foi essa, que fez o ser humano perder a curiosidade, sua tendência natural de adquirir conhecimento? Será por que ele já evoluiu a tal ponto que nada mais é novidade? Será que tudo já foi feito? Foram já compostas todas as possíveis canções? Será que a partir de agora, do apogeu alcançado, estaremos todo fadados à acompanhar a linha decadente dessa parábola que é a vida?

Quem esmagou nossos sonhos senão nós mesmos? Quem nos fez desacreditar nos mais belos ideais? Quem estreitou nossas almas, encaixotando-as em latas enferrujadas, senão nós mesmos, nossas máquinas, nossas instituições? Em que nos tornamos? Em seres desumanos, mesquinhos, medrosos, covardes, preguiçosos, preconceituosos, cruéis, atrofiados, e talvez na melhor das hipóteses, indiferentes.

As crianças, os pensadores, os artistas, os poetas e alguns loucos, são os poucos que ainda carregam em si a força propulsora do universo, a energia criativa e harmoniosa da fé e da esperança num mundo melhor, de paz, de alegria, de amor.

São os sonhadores que restam. Uma raça em extinção. Extinguidos pela massa anônima da ignorância, pela violenta invasão dos produtos de consumo de massa, da propaganda enganosa, do inutilitarismo emburrecedor das necessidades desnecessárias! Estudar pra quê? Vamos jogar futebol. Vamos nos canditatar para a presidência. Vamos fazer contrabando. Vamos vender armas. Vamos invadir terras. Vamos fumar um, vamos encher a cara. Vamos botar filhos no mundo. Vamos trabalhar duro e valorizar as recompensas, ainda que não existam, ou não compensem.

A expectativa de vida, mais que um número, deveria ser uma lista de infinitos desejos a serem realizados. Talvez se cada um se ocupasse em sonhar, e em acreditar e realizar suas metas por vias honestas, o mundo fosse mais harmonioso e então seria mais divertido, e menos estressante, viver.

Quem roubou nosso tempo de nós? Não fomos nós mesmos?

***

Numa tentativa de verificar a possibilidade de se ser feliz sonhando, acreditando nos sonhos, e os tornando realidade, darei a eles uma forma, primeira, de palavra escrita: farei aqui uma lista dos meus desejos.

Escolherei apenas cinco dos vários que tenho por medida prática de segurança. Seja pela viabilidade (nenhum deles pode ser impossível, como por exemplo, botar a mão no bolso e sempre tirar uma nota de 50... se bem que na cueca ou na meia, dizem que funciona...), seja pela prioridade, pois que alguns já estão em andamento, e seja, enfim, pela quantidade, afinal, serão apenas cinco simples desejos, passíveis de serem realizados em um intervalo de, digamos, dez anos. Ressalto porém que não é mister impor limites de tempo à felicidade, e tal período de dez anos é senão meramente ilustrativo, não fazendo parte das metas em si, às quais me proponho.

Se a mim for permitido viver para realizar meus sonhos, e se vocês que me lêem hoje, viverem para ler as futuras postagens, quem sabe com fotos de uma viagem a Machu Pichu, ou Londres, Espanha, Portugal, Alemanha, Itália! Ou ainda com um vídeo meu, tocando um Bach bem razoável no piano, ou se forem incapazes de compreender o que está escrito numa postagem em outra língua (prometo não usar programas tradutores!) então haveremos de concluir que sim, sonhar vale a pena e não custa nada (força de expressão, pois custa sim, muito empenho e dedicação, também tempo e, é claro, dinheiro, porque nada nessa vida é de graça).

Eis, pois, a lista dos meus cinco desejos:

1- Criar uma boa tese de mestrado.
2- Ir para Machu Pichu.
3- Conhecer a Europa.
4- Ser poliglota.
5- Tocar piano.

Prometo atualizá-los, quando em vez, dos meus esforços - para assim demonstrar que, na busca dos meus ideais, estou menos propícia, ainda que jamais isenta, de cometer atrocidades ou quaisquer atitudes depreciadoras da vida. Quero provar que os sonhos são o primeiro passo para a conquista de realizações, e enfim, que as realizações pessoais, por mais árduas, ou "bobinhas" que sejam, trazem felicidade.

E para terminar, gostaria de desafiá-los a fazerem parte prática dessa minha pesquisa, postando aqui os seus desejos, e sazonalmente, um breve relatório de a quantas anda a empreitada. Então, vamos?

10 comentários:

Ivo e Fátima disse...

Sogrão retomando a pole.

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda

Cá está a minha lista de desejos - e te digo, não é para os próximos 10 anos, mas para os próximos 10 meses (o prazo futuro de realização dos desejos deve ser proporcional à idade do "desejante"...)

1 - Receber meu filho e minha nora na minha casa no mes de maio.
2 - Ir para Foz do Iguaçu com meus filhos e minha nora e não dormir na rua...) no próximo maio.
3 - Ajudar meu filho e minha nora a comprarem uma casa na América.
4 - Visitar meu filho e minha nora na casa nova deles no próximo setembro.
5 - De vez em quando dar uma conversadinha em italiano com minha nora poliglota.

Poderia acrescentar um sexto desejo aqui - que minha querida norinha não fique tão down só porque "pode ser" que venha a ter um "F" no seu currículo.

Beijos do Sogrão

Fatima disse...

Xanda querida, hoje pela manhã li seu texto, primoroso como sempre, li os desejos do Ivo e fui andar no parque. Dediquei esta andada a matutar meus 5 desejos, acabei de voltar e acho que vou precisar de mais algumas milhas para conseguir sintetisar meus desejos só em 5. Muitos desejos se desmembram em outros desejos para se realizarem, fica difícil. Mas vou tentar, penso em fazer uma lista de 20 e então ir eliminando em partes. Quando eu conseguir te conto!
Beijo

Panda disse...

Sogrão! Tatatããã! Ta ta taaaan!

Fico feliz pois seus desejos muito em breve serão realizados... e então vc terá que criar outros! Afinal, a lista ideal é aquela infinita, renovável!

Digo ainda que todos os seus sonhos são também meus e o do Bruno! Três pessoas sonhando as mesmas coisas é sempre melhor do que uma. Hehehehe...

Fatimoca... escolha aqueles 5 que são os bem prováveis!

Como falávamos pelo skype... adorei o desejo de ir a Fernando de Noronha... aliás, meu décimo segundo desejo (contando meus 5, os seis do Ivo, e agora este) é conhecer o Brasil:

Pantanal, Amazônia, Planalto Central, Nordeste (litoral, porque o Sertão já tivemos a sorte de conhecer, até vimos o sangue do Lampião na pedra da gruta de Angica, lembram? e ficamos amigos do secretário da educação de Xingó do São Francisco)!

Que pena que eu não tinha o blog naquela época... vcs têm fotos?
Bjos

Ivan disse...

Então tá,
vamos lá.

Meu desejo-sonho fundamental é reunir coragem, confiança, determinação e disciplina para ser capaz de realizar essa lista, mesmo que não chegue a completá-la:

1 - Obter com méritos o título de Doutor (em Literatura) e publicar um livro (como tradutor) e outro (como poeta).

2 - Realizar pelo menos um dos já imaginados projetos poético-artísticos com Gianna Roland.

3 - Realizar o projeto de composição de canções, planejado com meu primo Sérgio Justen.

4 - Ler:
Finnegans Wake, de James Joyce; História Social da Arte e da Literatura, de Arnold Hauser;
Doutor Fausto, de Thomas Mann;
Fausto, de Goethe [estou no 3o. ato da 2a. parte - e até o fim de semana que vem eu chego lá, pelo menos neste caso!].

5 - Conhecer:
Dublin
Paris
Atenas
Antonina

Ana Balbinot disse...

Pandinha,
Você sintetizou o meu próprio pensamento quanto à escravidão que o academicismo nos impõe. Não sou nem de longe tão boa na escrita como você, por isso vou tomar, com a sua permissão, suas palavras para explicar para muitas pessoas que me cobram um diploma de arquitetura, o porque de não o ter.
Quanto aos meus desejos, lá vão:
1- Aceitar com cada vez mais serenidade a recém descoberta de que a vida não é justa, no mather what,
2- Diminuir em 1 ponto percentual por semestre até o ponto zero, a importância que dou a mim mesma,e isso talvez leve alguns anos
3- Conseguir interiorizar o que já sei, mas ainda não incorporei totalmente, que não sei nada,
4- Não sentir raiva de ninguém de nenhuma situação por mais de 10 minutos
5( e o mais importante)- Envelhecer do lado do meu filósofo, feliz e realizada,e com ele feliz e realizado

E não, não estou num momento Poliana! hahhaha!
Beijos

Brincar é ensinar disse...

Oi, Xanda! Vou compartilhar com você meus desejos tmb.

1- Ser chamada no concurso de Porto Alegre ou Bento Gonçalves (pela 2ª vez e sem ter medo de ir como aconteceu na primeira)
2- Me mudar para Bento Gonçalves ou Porto Alegre
3- Ter um filho até os meus 35 anos. (A idéia de ter um filho até os 30 já se perdeu)
4- Trabalhar somente 20 horas semanais.
5- Dar aula de espanhol ou inglês simplesmente por passatempo. Lógico que o $ sempre é muito bem vindo.

Beijos e sucesso!! Não desanime! Nada como um dia após o outro!!
;)
...Sílbia!

Chicolaiev disse...

gostei! Abraço de Portugal

Panda disse...

Ora, pois, mas quanta honra receber abraços de Portugal! Abraços brasileiros de Charlotte! Volte sempre!

Este blog está cada vez mais international!

Siiiilbia! Muita honra também recebê-la por aqui!!! Estou torcendo para que você realize seus desejos! E tenho certeza de que irá conseguir, porque vc merece! Beijos, gatam!

Ana! Claro que pode se apropriar do discurso... ele não é meu... brotou de mil ideias borbulhantes que tenho internalizado - em inglês e em espanhol - no mestrado. Os autores latinos que tenho lido estão começando a surtir efeito. Hehe...

Ivan! Faço de todos aqui seu sonho-desejo fundamental, porque afinal, sem força de vontade, disciplina e confiança, não se consegue nada nessa vida!

Obrigada pelos sonhos a bordo. Aguardo outros serem postados!

Tininha disse...

Xanda, simplesmente eu adorei! Não ando acompanhando muito você ultimamente, pois ando entre faxinas e livros. Além de estar ainda meio atrapalhada e chororó devido meu inferno astral, mas faltam apenas dois dias e noventa minutos. Kkkk!
Prometo que vou listar e me programar, então conto para você. Muito beijos!