terça-feira, 29 de março de 2011

Atualizações!

 Minha linda sobrinha-neta: seu sorriso me completa!

Sim, eu sei. Ultimamente não tenho tido tempo para postar aqui. As tarefas são muitas, incessantes.

Como de costume, dois livros pra ler por semana, trabalhos para escrever, pesquisa de mestrado, planos de aula, dar aula, cuidar do meu amor e da nossa casa, da saúde, do tratamento vip das visitas, do visual. Simplesmente muita coisa. Muita coisa boa, não posso reclamar de nada! Mas também não posso postar mais com tanta frequência, o que me deixa jururu e com muitas saudades de vocês, dos seus comentários!

Como se não bastassem todos os meus afazeres, sabe, eu sempre arrumo mais sarna pra me coçar. Inventei de apresentar em conferências, a minha primeira foi sábado passado. A convite de minha supervisora, dei uma palestrinha de 20  minutos na AATF-AATSP Conference sobre como incorporar cultura na sala de aula. Mostrei o trabalho de alguns alunos e algumas atividades para uma plateia de professores de língua estrangeira. Sendo minha primeira vez, não foi perfeito, mas foi oááátimo! Pois além de compartilhar, aprendi muito com as outras apresentações. E de quebra fui convidada pelo presidente da associação (americana de teachers de spanish e português) para apresentar num encontro maior, que será em outubro, em Winston-Salem. Ainda preciso escrever meu abstract. Amanhã, provavlemente!

O lance é que tudo é meio em cima da hora, e na sexta passada ainda fui com o Bruno, o Mike e a Belinda no show do Yes. Confesso que esse show seria mais para eu conhecer a banda, porque eu nunca ouvi Yes em toda a minha vida. Além do mais, eu tava precisando de um show de rock, e acreditei que uma banda clássica dos anos 70 poderia acalmar meus nervos acadêmicos. Tirando "Owner of a Lonely Heart" (que sinceramente nunca achei que fosse deles), não dancei e não curti. Mas também não me arrependi. Foi bom sair de casa, ir num lugar diferente com amigos queridos, e depois flanar pela cidade em busca de uma padaria-armazém-livraria bacana 24 horas.

Neste lugar trabalha a Hope, aquela vizinha com quem voei, no último verão, de parasailing. Falando nisso, mês passado passou voando. E eu e o Bruno fomos passar um fim de semana na casa deles lá em North Myrtle Beach pra comemorar nosso aniversário. Mesmo lá, tive que ler e escrever um trabalho, óbvio. Mas ainda assim molhar os pés no atlântico norte e congelar os ossos ao som das ondas, pisar na areia... deu pra dar uma recarregada nas energias!

Nesse ínterim, algumas ofertas e oportunidades de emprego já apareceram, pra dar aula em outra instituição, pra traduzir capítulos de livros pro português. Trabalhos que tenho negado mui polidamente, na lucidez de precisar focar, e de dizer um não de quando em vez.

Nem só de sins viverá o homem. Mas também nem só de nãos, né. Então pensei, por que não apresentar em uma conferência de estudos latino americanos? Por que não sobre música, algo que mais se relacione à área da minha tese? Então o Lydio, dia desses no skype, me deu um toque das palestras-show dele, que estão fazendo o maior sucesso por aí.

E aí tem essa conferência anual da UNC, William Brown Jr, que este ano será sobre "displacement." O palestrante convidado é um diretor de cinema cubano de quem sou fã, Sergio Giral (serrrio riral)! Na hora que recebi o email divulgando me deu uma vontaaaade de mandar uma proposta. Depois de muito matutar e ruminar a ideia, cheguei à conclusão de que eu estava mesmo era com uma saudade louca de tocar e cantar. Plim! Não exitei.


Essa história de não dar tempo é um saco, mas é muito verdade. Em tempos em que o tempo falta, temos que unir o útil ao agradável. Por isso minha tese ser sobre o rock brasileiro. E por isso mandei uma proposta - que já foi aprovada!!! - de tocar e falar do disco do exílio do Caetano Veloso (1971). O disco a que eu e a Tati nos referíamos, nos velhos tempos, como "o disco da ovelha", por causa do casaco de pele que ele está usando na capa.

Por que este disco?

1. Por ser aaaaall about displacement. O título da minha palestra vai ser "Songs of Exile."

2. Por trazer canções em inglês.

2,5. Por razões óbvias.

3. Por significar tanto para mim, neste exílio voluntário, ter um banquinho, um violão, e uma plateia ávida por escutar coisas velhas-novas.

4. E para subverter, tropicalizar um pouquinho esse meio acadêmico, meio autoritário e formal demais.

E é claro, para o meu currículo, essas apresentações fazem a diferença. Meu próximo passo é publicar em jornais acadêmicos. Em inglês vai ser meio difícil, mas tá, tamanduá, devagarinho eu chego lá.


E agora vou voltar a corrigir as pilhas de provas, composições, e ler os livros, e treinar canções, e fazer os resumos, as reflexões, e poxa vida... dormir que é bom? Escrever no blog que é bom? A vida passa tão rápido!

Vai me dando um desespero, e vou dando muito pitaque porque sério, minha cabeça está borbulhando, meu cérebro fervendo, e vai me dando uns ataques sentimentais e filosóficos e as patadas da Panda rolando soltas no Twitter, aqui no blog, no facebook, por email... desculpem àqueles a quem minha prepotência impulsiva tenha magoado. Afinal quem sou eu... só estou procurando ser alguém melhor e muitas vezes não tenho ajudado. Não importa quantos livros a gente leia, quantas teorias aprenda, ou desenvolva, ou ou ou, caralho, a gente sempre erra.

E errar é a forma mais humana de aprender.

Porque a universidade é MUITO desumana. Hahaha.

E Parabéns, Curitiba veia! 318 anos. Rio Belém Rio Belém, nunca mais to de bem. Não sei se perceberam mas o novo visu do blog agora tem um novo feed, em que vocês podem ler minhas últimas patadas em tempo real. É o primeiro ícone grandão no canto superior direito. Mesmo quando não tiver notícias no blog, terão 4 frases minhas pendendo ali. E sigam-se os bons!

Gente me internem. Estou mesmo dando choques. Bzzz. Bbzzz.

Daqui a pouquinho estarei aí.

4 comentários:

Fatima disse...

Primeirona de novo!
Xanda este lugar Winston-Salem vi numa revista de bordo é sensacional, um centro cultural aí da região.Lembra que levamos a revista para voces verem, se não era muito longe para a gente ir passar o dia e conhecer? Enfim, lembro que ficquei muito imprecionada com a beleza do lugar e a diversidade de coisas culturais para se fazer.
Recebi uma mensagem da Belinda, ela é um encanto.
Não entendi nas patadas, mas vou dar ma olhada na tal janelinha extra. No mais a Alice esta uma boeca!
Dizem por ai que Deus dá o frio conforme o cobertor, então fé irmã que tudo vai dar certo. Se ainda não deu certo é por que ainda não chegou ao fim!(filosofia do mestre Ivochina)
E como diriam os americanos, I'm looking forward to see you (both) soon!
Muitos kissessssss

Ivo e Fátima disse...

Pandinha linda

Veja só o que deu - eu configurei o Firefox da Fátima para que recarregue automaticamente o teu blog a cada 15 minutos e agora a muié só pega a pole! Parabéns para ela.

Muito legal você escrever sobre aquele disco do Caetano. Esse foi talvez o primeiro disco que comprei dele! Muito bom.

Só espero que na Páscoa você não tenha que ficar dando mil choques - pelo menos uns beijinhos eu quero poder dar em vocês (kakaka).

Beijos do Sogrão.

Ivo

Amandha disse...

Que correria, mas todo esforço tem retorno, ainda mais pra alguem com seu talento.

Se cuidem, esperamos voces.

beijos

Panda disse...

Fatiminha, tu ta porreta na pole, hein? Lembro sim, W.Salem parece ser uma cidade bem bacana, só conhecemos assim de passagem, quando fomos praquela casa do lago no verão passado.

Obrigada pelo apoio!!!

Bjos


Sogrão, vc ta que nem o Adão, botando a culpa na Eva, na atualização do Firefox, no rareamento das postagens... menos na esperteza da Fatimoca!!! Hehehehe...

Na Páscoa espero já estar mais sossegada. Mas sabe que fim de semestre sempre tende a piorar né?
Nada que uns ovos de chocolate e vcs de coelhinham não amenize!!!!

Amandhinha,

Obrigada pelo seu elogio, petit!
Se cuide por aí também. E dá umas bitoquinhas na nossa princesa por nós. Bjos