quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pare de Fumar Hoje: Método Revolucionário!


Reserve uma noite de lua cheia

E tome todas
Compre um cigarro ruim
Daqueles longos fedorentos
de madame falida e
Fume todos. 

Permita-se pigarros e muitas doses
Até tudo rodar e você não aguentar mais
Mas atenção: não morra antes da hora!
Corra pro banheiro
Abrace a privada
Enfie o dedo na goela
Regurgita, respira, revigora

Pressione o dedo ao fundo

[Assegure-se de que seja o mesmo dedo
amarelo de nicotina]
Se possível toque a campaínha
E continue em movimentos circulares
Até que seu esôfago 
Expulse mais um esguinche
splish! hugh! splash!

Repita a operação
Até vomitar amarelo
E sentir-se miseravelmente melhor.
Tome um banho se necessário.
E vá direto cambaleando pra cama.

Acorde tarde no outro dia 
Sinta o cérebro latejar 
O peito doer
A boca amargar

Remeta-se a alguma memória incômoda
E associe a ressaca moral ao maldito cheiro do cigarro na almofada
Sinta-se um lixo,
Não se atreva a sair da cama
Até que a fome aponte e vos separe.
Levante, coma, volte pra cama, e durma.
O primeiro dia passou.
Ele foi o mais difícil.
No segundo dia, estabeleça e obedeça as 7 regras cabalísticas. As minhas foram:

1- Não fumar quando tomar café 
2- Não fumar após as refeições
3- Não fumar depois do sexo
4- Não fumar no carro
5- Não fumar dentro de casa
6- Não fumar no ambiente de trabalho
7- Não fumar quando tomar cerveja

Pronto!

Mas atenção:
Tenha sempre um cigarro extra, avulso, por precaução
E deixe-o sempre, eternamente pra depois.

[Isso se chama procrastinação antecipada,
e o domínio dessa prática
requer pô-la em prática]

A primeira semana passou.
Ela foi a mais difícil.
Na segunda semana
Tenha uma briga com seu cônjuge
Porque ele (ou ela) quis fumar no carro, 
E justamente aquele único, último cigarro
Que com muita raiva de não poder fumá-lo, ele/ela jogou fora.
Veja no outro a loucura da abstinência pela qual você mesmo passou há poucos dias
E silenciosamente sinta o prazer de ter superado isso.
Trague e prense profundamente esse sentimento de superioridade.
Depois é só uma questão do quão teimoso/a você pode ser ao confrotar suas próprias vontades.

De vez em quando, esnobe: parei. Faz uns (número de meses) meses já.

Essa mandinga dá mesmo certo.
Deu pra mim. O primeiro mês passou. Ele foi o mais difícil.
Agora já faz tanto tempo que nem lembro mais.

2 comentários:

manuel marques disse...

Fumei durante 36 anos parei á 7 anos,foi o melhor que me aconteceu na vida.

Beijo.

Panda Lemon disse...

Parabens, Manuel! Eu to chegando lá!

Um feliz 2012!

\o/