terça-feira, 15 de maio de 2012

Old Town: "the birthplace of California"



Uma ova! A história oficial gosta de se basear em datas, mas principalmente, gosta de frases de efeito. A história oficial é sempre a que prevalece. E é sempre narrada do ponto de vista do conquistador. E assim, Old Town se orgulha de ser um marco importantíssimo no processo de colonização do Novo Mundo. Pois ali se deu o nascimento da República da California. Os nove mil anos de vida e sociedade indígena antes da chegada dos conquistadores são simplesmente removidos do epíteto do lugar. Mas sua cultura e e as nossas memórias falsamente construídas com ajuda da indústria cultural de massa, fazem como que os estereótipos hollywoodianos valham alguma coisa, afinal, aqui estou eu reclamando desse "pormenor" histórico. Ah, a hegemonia de Gramsci. Domingo é um ótimo dia para compor uma canção sobre Gramsci, depois de um lindo passeio por esse ponto turístico onde cada esquina tem uma história contada, e outra omitida.


A República da California nasceu bem ali, em 1769, quando um padre (sempre tinha um padre envolvido nessas atrozes políticas de conquista) chamado Junipero Serra fundou a primeira missão colonizadora nesta região. Em 1820 já existia por aqui uma comunidade propriamente mexicana, que foi emancipada à condição de "pueblo" -- El Pueblo de San Diego. Depois, em 1846, quando trilhos de trem já estavam cruzando o continente de leste a oeste, e o domínio da tecnologia funcionava como nova arma para subjugar os povos, nova guerra, e nova invasão branca, terminou a saga da conquista. É claro que a história é muito mais complicada (e mais interessante) do que isso. Quer saber mais? Vá ler um livro.


Visitar Old Town em San Diego é uma experiência fascinante, um quadro vivo do hibridismo cultural da California, com seus índios, mexicanos, americanos, chinesinhos, e mais uma variedade de turistas. Vi brasileiro, vi francês, vi alemão, Old Town é uma babel de povos e línguas e cheiros e sabores, e um contraste entre passado e presente. A paisagem é remota. As pessoas pós modernas. Depois desse passeio maravilhoso, voltamos pra casa e tomei algumas Margueritas - esqueci de dizer que a Amy é a melhor marguerita-maker de todos os tempos - e compusemos uma música pro Gramsci e depois, sinceramente, amigos, eu não lembro mais de nada!

2 comentários:

rose borges disse...

Você é foda,Panda! Adorei.

Panda Lemon disse...

Somos, Rose, somos.