segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Glúteos Poliglotas (Ou Poemas Que Engolem)

no som
das imagens
da tv

essa língua estranha
poluída mente sonora
que nem precisa decifrar

para sorvê-la
ouvi-la
inventá-la

pra dizê-la
pronunciá-la
imaginá-la

pra abordá-la e, por que não
comê-la
e desejá-la como agora

inspenish, ininglish
right now
a toda hora

nádegas
mucos, muslos, músculos
(ou poemas que engolem glúteos poliglotas)

Nenhum comentário: